Tudo sobre: Abscesso Subcutâneo

Introdução

O abscesso é uma inflamação local, com acúmulo de pus, bem delimitada por um tecido fibroso. Pode acometer órgãos, cavidades, glândulas, pele e/ ou tecido subcutâneo (tecido abaixo da pele). É consequência de uma resposta do organismo contra um agente infeccioso, geralmente, bactérias.

O abscesso é caracterizado por um aumento de volume de consistência macia, flutuante ou não, quente e doloroso, que pode drenar conteúdo espesso, amarelado e fétido (pus) ou sanguinolento. Acomete principalmente machos, adultos, não castrados, de vida livre ou que vivem em comunidade (abrigos e acumuladores), devido a disputa por território e fêmeas. As brigas resultam em lesões por mordidas e arranhaduras, que se não tratadas, podem evoluir para a formação de abscesso, principalmente as causadas por gatos.

Os felinos são mais predispostos ao desenvolvimento de abscessos subcutâneos, isso ocorre pois a cicatrização das feridas na pele tendem a ser rápidas, fechando o local de entrada do agente, favorecendo a proliferação dos microorganismos e acúmulo de pus. O tamanho do abscesso irá variar com o espaço para seu crescimento e a possibilidade de drenagem. É a doença de pele mais comum em gatos, acometendo principalmente a cabeça, pescoço, cauda e membros.

Ocasionalmente, as bactérias causadoras do abscesso podem atingir a circulação sanguínea e causar infecção em outros locais, como músculos, ossos e articulações, levando a quadros clínicos mais graves. O(a) Médico(a) Veterinário(a) responsável pelo caso pode realizar uma punção do abscesso para avaliação citológica do conteúdo, este procedimento pode ser guiado por ultrassonografia.

Transmissão

-Mordedura

-Arranhadura (principalmente a causada por felinos)

Manifestações clínicas

-Dor 

-Edema

-Eritema 

-Pirexia

-Depressão

-Anorexia

-Linfadenomegalia (nos vasos linfáticos que drenam a região do abscesso)

Diagnóstico

Associação entre exame clínico, histórico e anamnese

- Citologia - Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF)

Observação: outros exames complementares podem ser solicitados a critério do (a) Médico(a) Veterinário(a) responsável.

Tratamento

O tratamento pode ser local, sistêmico ou ambos, de acordo com o quadro clínico do paciente. 

Tratamento local:

- Drenagem do abscesso para remoção do pus e detritos celulares. Pode ser necessária realização de punção, lancetagem ou debridamento, estes, devem ser realizados por um(a) Médico(a) Veterinário(a).

- Limpeza do abscesso: a limpeza deve ser diária. Podem ser usados produtos à base de água oxigenada, soluções iodadas ou soluções de clorexidina. Se necessário, uma sonda uretral pode ser utilizada para limpeza (mais profunda), este procedimento deve ser realizado por um(a) Médico(a) Veterinário(a).

-Compressa: alternar compressa quente e fria a cada cinco a 10 minutos. Realizar este procedimento de três a quatro vezes por dia, até a maturação e rotura.

Tratamento sistêmico:

-Analgésicos para alívio da dor e anti-inflamatórios

-Antibioticoterapia

Espera-se melhora no quadro dentro de uma a duas semanas. Caso não ocorra, é necessária reavaliação do quadro e investigação da existência de complicações ou doenças associadas.

Prevenção

A principal forma de prevenção é a castração, pois reduz a probabilidade de fuga e consequentemente a ocorrência de brigas por território e fêmeas. Cabe aos tutores a responsabilidade de evitar que seus animais tenham acesso a rua sozinhos. Superlotação também deve ser evitada.

Em caso de lesões por mordedura e arranhadura, o(a) tutor(a) deve realizar a limpeza do local imediatamente, utilizando água corrente e sabão, esta precaução leva a redução da carga microbiana. Após limpeza da ferida, o animal deve ser levado a um(a) veterinário(a) para avaliação da situação.

Referências Bibliográficas

RONDELLI, M. C. H; TINUCCI-COSTA, M. Dermatologia. In: CRIVELLENTI, Leandro Z. CRIVELLENTI, Sofia B. (2 Ed.). Casos de Rotina em Medicina Veterinária de Pequenos Animais. 2 Ed.São Paulo-SP. Editora MedVet. 2015, cap 3. p 91-92.

TYLER, R. D; COWEEEL, R. L; ,MEINKOTH, J. H. Lesões cutâneas e subcutâneas. In: COWEEEL, R. L et al (3 Ed). Diagnóstico citológico e hematológico de cães e gatos. 3 Ed. São Paulo-SP. Editora MedVet. 2009, cap 5. p 107-11.

VETSET Hospital Veterinário. Abscessos Subcutâneos Felinos. 

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso