Tudo sobre: Bloqueio Sinoatrial

Introdução

A geração e transmissão dos impulsos elétricos responsáveis pela contração do músculo cardíaco é feita por feixes de células modificadas. Esses marcapassos são os nós, ou nodos sinoatrial e atrioventricular, e recebem estímulo do sistema nervoso autônomo. Distúrbios nessas estruturas provocam alterações no ritmo ou a falta de impulso inicial. O bloqueio sinoatrial ocorre quando a transmissão do impulso para átrios e ventrículos é prejudicada. 

A doença do nó sinoatrial é o distúrbio arritmogênico mais comum em cães. Pode ser idiopático, ser causado por neoplasias, aumento do tônus vagal em decorrência de distúrbios respiratórios e gastrointestinais, ser causado por lesões traumáticas (acidentes), doenças miocárdicas no átrio, toxicidade causada por medicamentos como digitálicos e betabloqueadores, por exemplo. Em cães de raças braquicefálicas, pode ser um achado casual no momento dos exames de rotina. Pode acometer cães e gatos, porém os relatos são menos frequente nos felinos domésticos. Não há propensão sexual e, como as causas são diversas, não há predisposição de faixa etária embora se saiba que o envelhecimento cardíaco é determinante para várias doenças do coração. 

Os distúrbios de condução podem ser leves, não causando sintomatologia, ou mais graves, levando à morte súbita.

Transmissão

-Não se apica

Manifestações clínicas

-Assintomático inicialmente

-Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

-Arritmias

-Bradicardia

-Astenia

-Síncope

-Cianose

-Sinais de Insuficiência Cardíaca Congestiva:

-Dispneia 

-Tosse

-Ortopneia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, exame físico e exames laboratoriais.

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Eletrocardiograma

-Ecocardiograma e teste da atropina

-Radiografia de tórax

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

A causa base deve ser investigada para instituir o tratamento primário. Em alguns casos, o tratamento com atropina pode ser instituído. Marcapasso artificial em casos crônicos e refratários ao tratamento podem ser implantados.

Prevenção

Não há prevenção, porém o diagnóstico precoce e acompanhamento dos animais é necessário, por isso é importante fazer visitas periódicas ao veterinário.

Referências Bibliográficas

PIMENTA, J. Disfunção do nó sinusal. Jornal Brasileiro de Arritmias Cardíacas, v. 1, n. 1, p. :27-31, 1988.

SCHOEN, F.J.; MITCHELL, R.N. O Coração. Em: Robbins & Cotran PATOLOGIA, Bases Patológicas das Doenças. Ed Elsevier, 8 ed., p. 1392, Rio de Janeiro, 2010.

KUMAR, A.; MAHENDRAN, K.; DEY, S. Sinoatrial Block in a Dog and its management. Intas Polivet ,v. 12, n II, p. 274-275, 2011.

LIMA, M.C.C.D. Arritmias no Plantão de Urgência. Em: Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Marcia Marques Jericó; João Pedro de Andrade Neto; Márcia Mery Kogika. Ed.Guanabara Coogan, 1 ed., p. 3689-3691, Rio de Janeiro, 2015.

MACÊDO, H.J.R. et al. Principais Alterações no Eletrocardiograma de cães. Ciência Animal, v. 29, n. 3, p. 38-49, 2019.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso