Tudo sobre: Capilaríase

Introdução

A capilaríase, também conhecida como capilariose, é a doença causada por alguns vermes nematóides (vermes de formato cilíndrico) da família Capillariidae. No Brasil, a ocorrência de casos de capilaríase em cães e gatos é rara, mas em outros países, como Alemanha, pode se encontrar uma taxa de até 6% de gatos infectados.

A Capillaria hepatica, verme responsável por causar a capilariose hepática, aloja-se no fígado de seus hospedeiros, local onde deposita seus ovos. Esse nematódeo é encontrado no Brasil em ratos domésticos e roedores silvestres, além de ocasionalmente acometer cães, gatos e o homem. A presença dos vermes no fígado dos animais causa sintomas gastrintestinais como vômitos, fezes com odor desagradável e amareladas, apatia e dor abdominal. A infecção ocorre pela ingestão dos ovos presentes no fígado de animais infectados, tanto pela alimentação com animais de caça, ou na ocorrência de predação natural de pequenos roedores pelos animais domésticos. 

As espécies Capillaria plica e a Capillaria feliscati são encontradas em órgãos do sistema urinário, como bexiga e rins dos carnívoros, podendo afetar o trato urinário de gatos domésticos. Apenas a Capillaria plica pode causar a doença em cães, porém os sintomas e desenvolvimento da doença ocorrem da mesma forma para os dois parasitas. O diagnóstico da infecção por essas espécies de capillaria é realizado pela visualização dos ovos do parasita no exame de sedimentação de urina e sua transmissão ocorre pela ingestão dos alimentos e água contaminados com o ovos eliminados na urina. 

Os sintomas incluem dor ao urinar, falta de controle da urina e infecções recorrentes no sistema urinário, porém a maioria dos gatos não apresenta sinais clínicos da presença do parasita no organismo.

Transmissão

- Alimento contaminado

- Água contaminada

- Urina

- Fezes

- Ingestāo de carcaças de roedores

Manifestações clínicas

Assintomático

Os sintomas e sinais podem ocorrer isolados ou em conjunto:

- Anorexia

- Dor abdominal

- Icterícia

- Sialorreia

- Apatia

- Êmese 

- Diarreia

- Disúria

- Polaciúria

- Letargia

- Cistite

- Mundança comportamental

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Hemograma completo 

- Urinálise simples

- Análise de Sedimento

- Biópsia

- Albumina

- Imunoglobulina A (IgA)

- Imunoglobulina G (IgG)

- Imunoglobulina M (IgM)

- Ureia

- AST – TGO

- ALT – TGP

- Fósforo

- Gama GT

- CPK (creatinofosfoquinase)

- Fosfatase Alcalina (F.A.)

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

As infecções urinárias geralmente têm seu ciclo completo e os parasitas são eliminados do corpo do animal, finalizando o parasitismo sem mesmo ser notado pelos(as) tutores(as), porém quando existem sinais clínicos da doença é necessária a realização do tratamento para eliminação do parasita, que pode ser feito com antiparasitários sob prescrição do médico(a) veterinário(a).

Prevenção

As medidas de controle da capilaríase hepática em cães e gatos se dá pela prevenção da ingestão de ratos e outros animais silvestres, quando o animal vive em zona rural, ou do contato com animais mortos em ambientes silvestres. 

A infecção do sistema urinário pode ser prevenida pelo controle da higiene ambiental e higiene dos alimentos e água ingeridos pelos pets e tratamento dos animais sintomáticos.

Não se deve permitir que os animais tenham acesso livre à rua a fim de evitar possíveis infecções e acidentes.

Referências Bibliográficas

DE MAGALHÃES, Ângela Muniz Souza et al. Zoonoses parasitárias associadas ao consumo de carne de peixe cru. PUBVET, v. 6, p. Art. 1411-1416, 2016.

ILHA, Marcia Regina da Silva; BARROS, Cláudio Severo Lombardo de. Capilariose hepática em cães e gatos: 15 casos. Ciência Rural, v. 30, n. 4, p. 665-669, 2000.

INFORZATO, Guilherme Repas; SANTOS, William Ribeiro Martins dos; NEVES, Maria Francisca. Capilariose em gatos. Revista Eletronica de Medicina Veterinaria, v. 7, n. 12, p. 75-78, 2009.

PAGNONCELLI, Marciélen et al. Capillaria sp. in a cat. Acta Scientiae Veterinariae, v. 39, n. 3, p. 1-3, 2011.

SALIBA, Adayr Mafuz; GRECCHI, Roberto; MARIANO, Mário. Sôbre um caso de capilaríase hepática em cão. Revista da Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de São Paulo, v. 7, n. 2, p. 409-412, 1965. 

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso