Tudo sobre: Celulite Juvenil

Introdução

A Celulite Juvenil canina é uma doença vesículo pustular caracterizada por granulomas ou piogranulomas que afetam regiões muco-cutâneas faciais, sendo uma condição inflamatória não infecciosa. Há outras denominações como Linfadenite Apostematosa, Doença do Linfonodo da Cabeça do Filhote, Garrotilho do Filhote, Pioderma Juvenil e Linfadenite Granulomatosa Estéril Juvenil. 

Acomete principalmente cães de três semanas a seis meses de idade. Acredita-se na existência de predisposição genética e fatores hereditários. As raças mais acometidas são Golden Retriever, Setter Gordon, Dachshund, Basset Hound, Beagle, Labrador Retriever, Spaniel Bretão, Pointer Inglês, Dogue Alemão, Lhasa Apso e Rottweiler. Não há predileção por sexo, podendo acometer um ou mais filhotes de uma mesma ninhada. 

A doença é incomum, havendo uma maior incidência de casos no inverno e primavera.

A celulite Juvenil tem sua etiologia e patogenia desconhecidos, sendo que na maioria das literaturas os autores indicam ser uma doença sistêmica relacionada a uma resposta imunológica.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Ocorre principalmente nas regiões das pálpebras, lábios e mentoniana. Podendo ocorrer nas regiões do tórax, abdômen, membros, vulva ou prepúcio e região perianal. 

- Áreas de alopecias 

- Edema facial bilateral

- Pápulas

- Pústulas

- Crostas

- Cicatrizes 

- Eritema 

- Linfadenopatia mandibular, mas outros linfonodos podem ser acometidos

- Otite purulenta bilateral 

- Não há prurido

- Anorexia

- Letargia

- Pirexia

Observação: A instalação de agentes infecciosos é comum devido a ruptura das pústulas e vesículas. 

Diagnóstico

Associação entre história clínica, exames físicos e laboratoriais 

Exames que o(a) Médico(a) Veterinário(a) pode pedir:

- Cultura bacteriana 

- Biópsia 

- Citologia da pele 

- Citologia do exsudato da orelha 

- Punção aspirativa por agulha fina (PAAF) de linfonodos 

- Hemograma completo

- Terapia imunossupressora 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

 O Tratamento é dependente do quadro de cada animal e deve ser realizado de forma precoce. Recomenda-se terapia com corticosteroides e se houver instalação bacteriana secundária é recomendado o uso de antibióticos específicos. 

Prevenção

Não se aplica.

Referências Bibliográficas

ALBUQUERQUE, Ana Paula Souza et al. Canine juvenile cellulite - literature review. Ciência Veterinária UniFil, v. 1, n. 2, abr./jun. 2018.

ALVES, Carlos E. F. et al. Juvenile cellulitis in a puppy – case reports. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 4, p. 1539-1542, jul./ago. 2012.

DHEIN, Juliana de Oliveira et al. Celulite Juvenil Canina: casos atendidos no Dermatovet UFRGS de 2013-2018. In: Congresso MedVep Internacional de Dermatologia Veterinária, 2018, Foz do Iguaçu. Anais..., Foz do Iguaçu: Comdev, 2018. 

LOPES, Danielle C. S. et al. Celulite Juvenil Canina- Relato de Caso. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v.10, n.3, p. 462–469, jul./set. 2016.

ROHR, Daniela Zanette. Estudo retrospectivo sobre casos de Celulite Juvenil Canina de 2005 a 2015. Monografia (Graduação em Medicina Veterinária) – Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2016. 

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso