Tudo sobre: Cisto Dentígero

Introdução

O cisto dentígero é a condição na qual não ocorre a erupção dos dentes permanentes, devido a barreiras físicas ou falha nas forças de erupção, ocasionando a formação de um cisto com acúmulo de líquido que se origina do tecido que cerca a coroa de um dente que não irrompeu.

Normalmente a troca de dentes decíduos pelos dentes permanentes ocorre até os seis meses de idade. No caso do cisto dentígero, todos os dentes podem ser afetados, porém observa-se maior incidência nos primeiros pré molares mandibulares e nos caninos mandibulares e maxilares. De incidência baixa e etiopatogenia incerta, acomete principalmente os cães machos e de pequeno porte com alta prevalência em braquicefálicos, sendo raramente observada em gatos.

Os fatores que predispõem esta condição vão desde causas genéticas e deficiências nutricionais a distúrbios metabólicos e endócrinos. 

Apesar de tratar-se inicialmente de uma condição benigna, o cisto dentígero pode alcançar tamanhos significativos e causar diversas alterações orais durante sua evolução, como destruição óssea local, invasão na cavidade nasal, perda de dentes adjacentes, alteração da mandíbula ou maxila concomitante à assimetria facial e até mesmo neoplasias, sendo indicada sua extração.

Transmissão

Não se aplica.

Manifestações Clínicas

-Alterações gengivais como tumefação (aumento de volume)

-Hipodontia (ausência do dente afetado)

-Assimetria facial

-Dor

-Anorexia ou Hiporexia

-Doenças periodontais

-Má oclusão

-Corrimento nasal sanguinolento e/ou seroso

Diagnóstico

-Exame físico da cavidade oral

-Radiografia intra-oral ou de crânio


Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento indicado para a persistência de dentes decíduos é a exodontia, que consiste na cirurgia para retirada do dente que não irrompeu naturalmente. Deve-se atentar para evitar lesões ao periodonto e aos dentes adjacentes, sendo o raio x de extrema importância para se determinar a exata localização interna de cada dente, bem como seu tamanho. 

Nos casos mais simples, em que a única barreira para a erupção do dente seja a gengiva, pode ser realizada a operculotomia, tratando-se da retirada do excesso de tecido gengival no local acometido.

Em casos com grande evolução dos cistos, o tratamento consiste primeiramente na marsupialização e drenagem do cisto, devendo ser feita a exodontia de acordo com a avaliação do Médico Veterinário. A técnica de marsupialização consiste na abertura de uma fenda no tecido com sutura em suas bordas, permitindo que o local permaneça aberto e sua drenagem ocorra livremente.

É recomendado o uso de antibiótico e antiinflamatório no pós-cirúrgico, além de alimentação pastosa.

Prevenção

Não se aplica. Porém, o diagnóstico precoce é de extrema importância para um prognóstico favorável e ausência ou prevenção de complicações.

Referências Bibliográficas

BABBITT, S.G.; VOLKER, M.K.; LUSKIN, I.R. Incidence of radiographic cystic lesions associated with unerupted teeth in dogs. Journal of veterinary dentistry, Thousand Oaks, v. 33, n. 4, p. 226-233, 2016. FULTON, A.J.; FIANI, N.; VERSTRAETE, F.M. Canine pediatric dentistry. The veterinary clinics of North America. Small animal practice, Maryland Heights, v. 44, p. 303-324, mar/ 2014. HONZELKA, S.R.; KRESSIN, D.J.; CHAMBERLAIN, T.P. Modified conservative treatment of an extensive dentigerous cyst in a dog. Journal of veterinary dentistry, Thousand Oaks, v. 31, n. 4, p. 249-254, 2014. HOYER, N.K.; BANNON, K.M.; BELL, C.M.; SOUKUP, L.W. Extensive maxillary odontomas in two dogs: diagnosis, pathology, and management. Journal of veterinary dentistry, Robbinsville, v. 33, n. 4, p. 234-242, 2016. KUMAR, V.; LALZAWMLIANA, V.; TRIPATHY, B.; JHA, R.K.; MUKHERJEE, P. et al. Surgical management of impacted premolar and molar teeth in a german shepherd dog. Indian journal of animal health, Calcutá, v. 56, n. 1, p. 101-104, 2017. KUYAMA, K.; HAYASHI, K.; FUFITA, S.F.; SATOH, I.; YAMAMOTO, H. Immunohistochemical Analysis of a dentigerous cyst in a dog. Journal of veterinary dentistry, Thousand Oaks, v. 26, n. 2, p. 106-109, 2009. PERRY, A.J. Dental radiology in dogs and cats. Companion animal, London, v. 22, n. 3, p. 150-159, mar/ 2017. SANTOS, I.F.C.; BENE, M.; GASPAR, B.; BAMBO, O.; CARDOSO, J.M.M. Persistência de dentes decíduos em cão (Canis familiaris): relato de caso. Revista científica da Universidade Eduardo Mondiane, Série: Ciências agronômicas, florestais e veterinárias, Maringá, v. 1, n. 1, p. 75-81, 2014.
Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso