Tudo sobre: Cistos prostáticos

Introdução

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que produz um fluido que nutre, protege e transporta os espermatozóides. As doenças prostáticas geralmente acomete cães, de grande porte, idosos e não castrados. Possui maior incidência em cães do que em gatos devido a ocorrência de hiperplasia da glândula com o envelhecimento do animal.

Os cistos prostáticos podem ser divididos em dois tipos, os cistos de retenção e os cistos paraprostáticos. Os primeiros estão presentes na glândula e resultam do acúmulo de líquido prostático, consequência de uma obstrução dos ductos glandulares, geralmente associada à Hiperplasia Prostática Benigna (HPB); o segundo não possui comunicação com a próstata e sua causa ainda não foi esclarecida.

Os cistos podem apresentar-se como múltiplos e pequenos ou único e grande. O tamanho e a quantidade de cistos podem alterar as dimensões, a simetria e a textura da glândula prostática. Quando o cisto é grande e resulta na compressão de outros órgãos, o animal manifesta sinais clínicos como tenesmo (esforço improdutivo e repetido para defecar) e disúria (dificuldade para urinar).

Durante o exame clínico, a palpação é de grande valor. Cistos pequenos podem ser notados na palpação retal como pequenas vesículas flutuantes e os cistos grandes podem ser palpados no abdômen e ou na região perianal. Os exames de imagem e a punção aspirativa por agulha fina (PAAF) são os métodos de diagnósticos mais utilizados.

O tratamento é cirúrgico e a técnica a ser escolhida irá depender do caso e do(a) Médico(a) Veterinário(a) responsável pelo caso. A castração é uma opção terapêutica e preventiva, pois foi comprovado que a incidência de patologias prostáticas é menor em animais castrados.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Assintomáticos

-Tenesmo

-Constipação

-Hematúria

-Retenção urinária

-Estrangúria

-Disúria

-Corrimento uretral (incolor ou hemorrágico)

-Anorexia

-Fraqueza

-Dor abdominal

Diagnóstico

Associação da anamnese, histórico e exame clínico

-Ultrassonografia

-Radiografia

-Citologia (PAAF)

-Histopatologia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

Para o tratamento dos pequenos cistos, é recomendada a castração ou a drenagem percutânea ecodirigida, esta, por sua vez, possui chance de recidivas. Porém, a castração deve ser sempre considerada quando há aumento prostático, para prevenir a ocorrência de outras doenças prostáticas, como a hiperplasia prostática benigna.

Para os grandes cistos e cistos paraprostáticos, é necessário realizar a drenagem do conteúdo associada a outras técnicas cirúrgicas.

Prevenção

A prevenção é baseada na castração do animal, pois estudos comprovam que há redução da incidência de afecções prostáticas em animais castrados.

Referências Bibliográficas

BLACK, G.; LING, G.; NYLAND T.; BAKER, T. Prevalence of prostatic cysts in adult, large-breed dogs. Journal of the American Animal Hospital Association, v. 34, n.2, p.177–180, 1998. doi:10.5326/15473317-34-2-177.

BRANDÃO, C. V. S. et al. Efeito da orquiectomia no tamanho prostático. Estudo experimental em cães. Braz. J. Vet.Res. Anim. Sci. v. 41, p. 154-155, 2004.

Galvão et al. Principais afecções da glândula prostática em cães. Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.35, n.4, p.456-466, out./dez. 2011. Disponível em www.cbra.org.br.

LÉGA, E.; FARDIN, V.; LATARO, R. A.; CALIMAN, A. P.; AGOSTINHO, J. M. A.; ZANCHETTA, R. M.; OLIVEIRA, P. S. Tratamento de cisto paraprostático em um cão. Nucleus Animalium, v.3, n.1, p. 144, mai. 2011.

WEBER, G. Afecções prostáticas em cães. 2006. 30 f. Monografia (Especialização em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais)- Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria- RS, 2006.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso