Tudo sobre: Cistos Subaracnóides

Introdução

O cisto subaracnóide, também denominado cisto aracnóide, cisto leptomeníngeo ou cisto meníngeo, é uma enfermidade rara tanto em humanos como em animais e consiste no acúmulo de Líquido Cefalorraquidiano (LCR) ou líquor entre as meninges (membranas responsáveis por envolver o Sistema Nervoso Central), mais especificamente no espaço subaracnóide, delimitado pelas membranas aracnóide e a pia-mater.

As causas dessa doença ainda não são bem esclarecidas, mas há relatos de casos congênitos e adquiridos, sendo estes secundários a trauma, fratura, cirurgias descompressivas de disco intervertebral e ainda associados à espinha bífida, discoespondilite e espondilomielopatia cervical. 

O cisto pode ocorrer ao redor do encéfalo (menos comum) ou da medula espinhal, localizando-se ventral ou dorsalmente, sendo mais frequentemente nas regiões cervical e torácica.

Os casos em animais vem aumentando ao longo dos anos, mas acredita-se que seja pelo avanço de novas técnicas de diagnóstico. Aparentemente não há predisposição por raça, sexo ou idade, no entanto, em cães há casos reportados em cães da raça Rottweiler. Os cistos podem apresentar formato bilobulado, múltiplos ou isolados. A progressão, intensidade e localização dos sinais variam conforme o tempo e o local da afecção.

Em muitos casos, pode ser assintomático e o diagnóstico é um achado acidental em exames de imagem ou no exame post mortem. 

Os cistos subaracnóides devem ser levados em consideração como diagnóstico diferencial em quadros com sinais neurológicos de doença medular compressiva lombar, com paralisia dos membros.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

- Dor

- Convulsão

- Ataxia

- Hipermetria

- Incontinência urinária

- Incontinência fecal

- Paresia

- Paralisia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Tomografia computadorizada

- Ressonância magnética

- Mielografia

- Análise de líquor

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento de eleição é o cirúrgico para a drenagem do cisto e remoção do tecido comprometido. Porém, a indicação cirúrgica e a técnica utilizada para isso dependerá do quadro clínico do paciente e da localização do cisto. A terapia conservadora com uso de anti-inflamatórios esteroidais e anticonvulsivantes já foi relatada, no entanto, não há garantias de sucesso.

Em alguns casos, independentemente do tratamento cirúrgico, o paciente pode apresentar recorrência de sinais clínicos e, por tal motivo, deve ter acompanhamento clínico a longo prazo (meses a anos).

Prevenção

Como a origem dos cistos subaracnóides não está estabelecida, não é possível atuar de maneira efetiva na prevenção. O acompanhamento com o(a) médico(a) veterinário(a) desde filhote, com realização de exames para check up, pode facilitar no diagnóstico precoce caso a origem seja congênita. Nos casos adquiridos advindos de lesões traumáticas, a sugestão é prevenir a ocorrência de situações em que o animal se coloque em risco. 

Tanto cães quanto gatos não devem ter livre acesso à rua, pois o risco de atropelamentos é muito alto. Os cães devem sempre andar junto com o(a) tutor(a), devidamente contidos na coleira e guia para passeio. As janelas das residências com felinos, principalmente os apartamentos em andares mais altos, devem possuir grades de proteção para prevenir as quedas. Deve-se evitar o acesso dos felinos aos telhados, muros e árvores pelo mesmo motivo.

Os animais não destinados à reprodução devem ser castrados, machos e fêmeas, assim que possível. A castração preventiva traz inúmeros benefícios ao animal, porque inibe alguns comportamentos sexuais que os estimula a fugir em busca de parceiros, brigar com outros animais por territórios, e auxilia no controle populacional, evitando que mais cães e gatos sejam abandonados à própria sorte nas ruas.

Referências Bibliográficas

ALVES, L. S. et al. A retrospective study of quadrigeminal arachnoid cysts diagnosed by Magnetic Resonance Imaging and Computed Tomography in 26 dogs. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(2):300-308. 

FONSECA-PINTO, A. C. B. C. et al. Cisto aracnoide em um cão da raça Rottweiller: diagnóstico e tratamento. Braz J vet Res anim Sei v.41 (supl) 2004.
ZANG, L. et al. Cisto aracnoide medular em um cão: relato de caso. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2017, vol.69, n.3, pp.613-617.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora