Tudo sobre: Coagulopatia por Hepatopatia

Introdução

A coagulação sanguínea é uma reação de defesa do organismo para o estancamento de sangramentos. A complexa sequência de acontecimentos para evitar uma hemorragia acontece por meio de substâncias chamadas fatores de coagulação, que são produzidos no fígado. 

Os distúrbios da coagulação são chamados de coagulopatias, e podem ter diversas causas, dentre elas a deficiência de vitamina K ou intoxicações por substância químicas como alguns tipos de veneno de rato. Complicações no fígado, que podem ser devido a intoxicações ou outras doenças, também podem dificultar ou impedir a produção das substâncias responsáveis pela coagulação, podendo assim ser classificada a Coagulopatia por Hepatopatia, ou seja, problemas de coagulação sanguínea devido a doenças do fígado.

Muitas vezes, sangramentos não são facilmente observados, mas em alguns casos pode-se observar vômitos ou fezes com sangue, ou o surgimento de hematomas sem causa aparente. Em alguns casos, a desconfiança da coagulopatia acontece por sangramentos prolongados em procedimentos simples como biópsia ou durante coleta de sangue para exames de rotina.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Assintomático

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

-Melena

-Hematêmese

-Hematoquezia

-Hematúria

- Hematomas

- Petéquias

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais. 

Exames que o médico veterinário pode solicitar: 

-Urinálise simples

-Albumina

- Imunoglobulina A (IgA)

-Imunoglobulina G (IgG)

-Imunoglobulina M (IgM)

-Ureia

-AST – TGO

-ALT – TGP

-Fósforo

-Gama GT

-CPK (creatinofosfoquinase)

-Fosfatase Alcalina (F.A.)

-Bilirrubinas (Direta, Indireta e Total)

-Colesterol Total

-Hemograma completo

-Tempo de Protrombina

-Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada

-Fibrinogênio

-Hematócrito (VG)

-Coagulograma

-Ultrassonografia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento específico da coagulopatia não é necessário a não ser que se observem sangramentos espontâneos, ou que seja necessária intervenção cirúrgica no animal. Pode ser necessária a reposição de sangue perdido em hemorragias por meio de transfusão. A doença no fígado que causou a coagulopatia deve ser tratada de modo específico e, em caso de deficiência de vitamina K, deve ser realizada a reposição, porém sempre com indicação veterinária, pois principalmente em gatos o excesso de vitamina K pode provocar reações graves.

Prevenção

Fornecer uma dieta completa e balanceada aos animais e prevenir o contato dos pets com veneno de rato ou outras substâncias que podem provocar intoxicação. Fazer o acompanhamento periódico com médico veterinário e realizar exames preventivos antes de procedimentos que sejam invasivos (como cirurgias ou procedimento de limpeza dos dentes) para garantir a segurança do pet durante e após o procedimento. Sempre que for diagnosticada uma doença no fígado, ela deve ser tratada com seriedade, para evitar que o bem-estar do animal seja prejudicado.

Referências Bibliográficas

BORGES, Kelly Caixeta; TOGNOLI, Guilherme Kanciukaitis. FISIOPATOLOGIA DA COAGULAÇÃO INTRAVASCULAR DISSEMINADA NA SEPSE EM CÃES. Revista Científica do curso de Medicina Veterinária-FACIPLAC, v. 4, n. 1, p. 43-57, 2017.

HOWES, Flávia. Hepatopatias crônicas em cães. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização. Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Curso de Especialização em Residência em Área Profissional de Saúde- Medicina Veterinária: Clínica Médica de Pequenos Animais, RS, 2011.

PINFILDI, Leonardo. Patogenias e tratamentos da insuficiência hepática em cães. 2010. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Medicina Veterinária) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2010.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora