Tudo sobre: Complexos Atriais e Ventriculares Prematuros

Introdução

O coração dos mamíferos é dividido em quatro cavidades – dois átrios (direito e esquerdo) e dois ventrículos (direito e esquerdo). Os átrios localizam-se acima dos ventrículos e são separados destes pelas válvulas cardíacas. Os átrios recebem o sangue dos pulmões e do restante do organismo, enquanto os ventrículos são responsáveis por bombeá-lo para os pulmões e para o corpo.

Os complexos atriais e ventriculares prematuros também são chamados de contrações ou batimentos atriais e ventriculares prematuros, ou ainda, extra-sístole atrial ou ventricular. Caracterizam-se pela disfunção no ritmo cardíaco com a presença de batimentos adicionais. Podem ocorrer em animais saudáveis e geralmente é assintomática. 

O batimento prematuro acontece pela despolarização (ativações elétricas isoladas) em uma área diferente (nódulo atrioventricular) das câmaras cardíacas e antecipa-se ao batimento normal do coração. É mais comum ser observada em pacientes idosos, mas pode aparecer em animais jovens. Até onde se sabe, não há predileção por sexo ou raça. 

Sua origem não é muito bem esclarecida, mas sabe-se que os batimentos prematuros podem ser estimulados quando o animal passa por algum estresse físico ou emocional ou uso de medicamentos como digitálicos, simpaticomiméticos e anestésicos locais. Em humanos, também estão vinculados ao consumo de substâncias estimulantes como a cafeína, álcool e medicamentos antigripais ou cardioestimulantes. Pode também aparecer associados a cardiopatias como a doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, cardiomiopatias, miocardite ou valvulopatias.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

  • Arritmia
  • Taquicardia
  • Palpitação

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

  • Eletrocardiografia
  • Radiografia torácica
  • Ecocardiografia
  • Hemograma Completo
  • ALT – TGP
  • AST – TGO
  • Ureia
  • Creatinina
  • Gama GT
  • Fosfatase Alcalina (F.A.)
  • Sódio
  • Potássio 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

A grande maioria dos casos não requer alguma intervenção medicamentosa, pois os pacientes são assintomáticos e saudáveis. A mudança no manejo para evitar episódios de estresse são suficientes para controlar os batimentos prematuros. 

No entanto, uma atenção maior deve ser dada quando há presença de cardiopatias coexistentes, pois a arritmia pode se tornar perigosa, evoluindo para taquicardia ventricular ou fibrilação ventricular que podem provocar morte súbita. O uso de antiarrítmicos/ betabloqueadores pode ser recomendado de acordo com o estado geral do paciente, seu histórico médico e a presença de manifestações clínicas.

Prevenção

Não há alguma medida direta que previna o aparecimento dos complexos atriais e ventriculares prematuros. Em todo caso, é importante que o(a) tutor(a) esteja atento às mudanças de comportamento repentinas: alterações na respiração, no estado de alerta do animal, possível intolerância ao exercício, entre outras, e encaminhar o animal o mais rápido possível ao(à) médico(a) veterinário(a) para avaliação.

Além disso, o(a) tutor(a) deve prezar pelo fornecimento de uma alimentação equilibrada, balanceada e de boa qualidade para que não haja excessos ou faltas para o animal.

O acompanhamento periódico com o(a) médico(a) veterinário(a) garante que seu pet esteja amparado e facilita o diagnóstico precoce caso haja alguma enfermidade. 

Após o diagnóstico, é preciso seguir as recomendações de manejo e permanecer administrando os medicamentos durante todo o período prescrito. É importante que o(a) tutor(a) nunca suspenda qualquer medicação sem a indicação médicas.

Referências Bibliográficas

MARQUES, T. J. N. Avaliação da capacidade de interpretação de algumas alterações eletrocardiográficas por clínicos de pequenos animais em medicina veterinária. Dissertação (Mestrado), Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2010.

MITCHELL, L. B. Batimentos atriais prematuros. Manual MSD - Versão Saúde para a Família. Merck Sharp & Dohme Corp., subsidiária da Merck & Co., Inc., Kenilworth, NJ, EUA. 2019. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-do-cora%C3%A7%C3%A3o-e-dos-vasos-sangu%C3%ADneos/arritmias-card%C3%ADacas/batimentos-atriais-prematuros>

MITCHELL, L. B. Batimentos ventriculares prematuros. Manual MSD - Versão Saúde para a Família. Merck Sharp & Dohme Corp., subsidiária da Merck & Co., Inc., Kenilworth, NJ, EUA. 2019. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-do-cora%C3%A7%C3%A3o-e-dos-vasos-sangu%C3%ADneos/arritmias-card%C3%ADacas/batimentos-ventriculares-prematuros>

RAMÍREZ, E. Y.; BERNAL, J. Lectura e interpretación del E.C.G. Cardio-Vet: Madrid. 2006

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso