Tudo sobre: Conjuntivite

Introdução

A conjuntivite caracteriza-se pela inflamação da conjuntiva, mucosa que recobre as pálpebras e os olhos, cuja função é a de proteção. Dentre as doenças oftálmicas, a conjuntivite é a que mais acomete os animais e, muitas vezes, pode passar despercebida pelos(as) tutores(as), causando incômodo prolongado.

Normalmente a inflamação é decorrente de fatores como poluição do ar, presença ou permanência de corpos estranhos nos olhos, umectação inadequada do globo ocular, infecções bacterianas e fúngicas, entre outros. Ao contrário do que ocorre na conjuntivite em humanos, os animais não apresentam potencial contágio entre si. Além disso, a doença em humanos não afeta os animais e vice-versa.

Algumas raças de cães são mais propensas a desenvolver o quadro inflamatório da conjuntiva, como os Buldogue, Pug, Chow Chow, entre outras. Em gatos, os da raça Persa apresentam maior acometimento na rotina clínica.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

- Corrimento ocular

- Vermelhidão ocular

- Edema ocular

- Prurido na região dos olhos

- Hiperestesia ocular

- Inquietação

- Dor na região dos olhos

- Folículos na conjuntiva

- Secreçāo purulenta

Diagnóstico

- Exame físico da região ocular

- Teste de Schirmer - Exame de lágrima

- Contraste por colírio de fluoresceína

- Angiografia ocular

- Microscopia ocular

- Fundoscopia

- Cultura bacteriana

*Devem ser levados em consideração alguns diagnósticos diferenciais no momento da avaliação da conjuntivite, como glaucoma, ceratite ulcerativa, obstrução do ducto lacrimal, entre outros.

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

Por se tratar de uma afecção relativamente simples, quando há ausência de complicações, muitos(as) tutores(as) tendem a medicar os animais por conta própria. Porém, nenhum tratamento deve ser estabelecido sem a avaliação de um(a) Médico(a) Veterinário(a) e correta interpretação dos sinais clínicos para conclusão do diagnóstico e prescriçāo de terapia adequada.

Em geral, a recomendação de fármacos baseia-se no uso de colírios ou pomadas anti-inflamatórias e antibacterianas, além da limpeza constante e contínua dos olhos com soro fisiológico. Caso ocorra a comprovação de outras doenças que favoreçam o surgimento da conjuntivite, fármacos sistêmicos podem ser indicados.

Prevenção

É importante que se mantenha uma boa higiene da região ocular dos animais, evitando o acúmulo de pelos, sujeiras e secreções. Também deve-se evitar o contato dos animais com produtos irritantes, principalmente os animais alérgicos.

Um sistema imunológico fortalecido, com base em uma boa nutrição, é imprescindível para evitar o surgimento da conjuntivite, além de diversas outras doenças.

Referências Bibliográficas

Anderlini, S., Neto, J. E., Anderlini, G. A., de Melo Omena, P. N., da Silva Souza, E. H. L., da Silva, J. K. A., ... & de Sá, F. B. (2018). Estudo clínico-oftálmico e citológico de felinos domésticos com conjuntivite e mantidos em adensamento populacional. PUBVET, 12, 133.

Gould, D. 2011. Feline herpesvirus-1. Ocular manifestations, diagnosis and treatment options. Journal of feline medicine and

surgery, 13, 333–346.

Ledbetter, E.C. et al. Brucella canis endophthalmitis in 3 dogs: clinical features, diagnosis, and treatment. Veterinary Ophthalmology, v.12, n.3, p.183-191, 2009.

Rito, I. Q. S. 2009. Utilização da citologia conjuntival no diagnóstico de doenças oculares.– Universidade Técnica de Lisboa,

Lisboa, 100f.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso