Tudo sobre: Degeneração Neuronal Multissistêmica

Introdução

A Degeneração Neuronal Multissistêmica é uma condição bastante rara que já foi relatada em cães da raça Cairn Terrier. Os neurônios são os responsáveis pelo funcionamento correto do cérebro e sua comunicação com o restante do corpo. A degeneração neuronal é o processo de declínio do funcionamento ou mesmo a morte dos neurônios. 

A doença provoca a falha na comunicação entre os neurônios de forma que os músculos não conseguem receber informações adequadamente para que ocorram simples movimentos. Como é uma condição progressiva, ou seja, os sintomas vão aumentando em intensidade ou surgindo ainda sintomas novos de tempos em tempos, o cão acaba ficando muito debilitado, chegando a não conseguir realizar mesmo movimentos simples.

Transmissão

-Hereditário

Manifestações clínicas

-Paresia

-Paralisia

-Fraqueza

-Ataxia

-Tremores

-Mioclonia

-Hipermetria

-Opistótono

-Hiperestesia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos e história do animal. 

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Hemograma completo

-Radiografia

-Urinálise simples

-Albumina

-Imunoglobulina A (IgA)

-Imunoglobulina G (IgG)

-Imunoglobulina M (IgM)

-Ureia

-AST – TGO

-ALT – TGP

-Fósforo

-Gama GT

-CPK (creatinofosfoquinase)

-Fosfatase Alcalina (F.A.) 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

Um tratamento efetivo não foi estabelecido para a condição. O tratamento consiste de adaptações de rotina para melhoria da qualidade de vida do pet. Como a condição genética é degenerativa e progressiva, os sintomas vão progredir de forma individual, não sendo possível estabelecer o tempo de sobrevida do cão. A eutanásia pode ser considerada em casos mais graves ou em estágios avançados da doença.

Prevenção

No caso de aquisição de animais de raça, a busca por criadores responsáveis é sempre a melhor opção para a garantia de boa saúde do pet. Doenças hereditárias são prevenidas afastando da reprodução animais sabidamente portadores dos genes específicos para o desenvolvimento da doença, portanto cabe ao criador conhecer o histórico da raça e da linhagem dos animais. Quando identificada qualquer condição geneticamente transmitida, a castração ou esterilização do animal é recomendada.

Referências Bibliográficas

CUMMINGS, J. F.; DE LAHUNTA, A.; GASTEIGER, E. L. Multisystemic chromatolytic neuronal degeneration in cairn terriers: A case with generalized cataplectic episodes. Journal of veterinary internal medicine, v. 5, n. 2, p. 91-94, 1991.

CUMMINGS, J. F. et al. Multisystemic chromatolytic neuronal degeneration in a Cairn terrier pup. The Cornell veterinarian, v. 78, n. 3, p. 301-314, 1988.

PALMER, A. C.; BLAKEMORE, W. F. A progressive neuronopathy in the young Cairn Terrier. Journal of Small Animal Practice, v. 30, n. 2, p. 101-106, 1989.

ZAAL, M. D. et al. Progressive neuronopathy in two Cairn terrier litter mates. Veterinary quarterly, v. 19, n. 1, p. 34-36, 1997.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso