Tudo sobre: Degeneração Testicular

Introdução

Em animais, fatores como alimentação, agentes tóxicos, alterações ambientais e patologias do sistema reprodutivo podem afetar de forma negativa a qualidade espermática e, consequentemente, a fertilidade. Dentre as doenças que acometem o trato reprodutivo dos cães machos, as afecções testiculares são as mais frequentes e podem ser de origem congênita (animal nasce com a alteração) ou adquirida. 

A degeneração testicular é uma condição geralmente adquirida, na qual um conjunto de alterações no parênquima testicular leva à queda da qualidade do sêmen e consequente redução da fertilidade, ou até mesmo infertilidade. As causas da degeneração são múltiplas, ou seja, diversos fatores podem predispor à sua ocorrência como temperatura do ambiente elevada (estresse térmico), intoxicações, infecção/ inflamação local (orquite, epididimite dermatite escrotal), desequilíbrios nutricionais, lesões vasculares, traumas, distúrbios hormonais, fatores autoimunes, toxemia, obstrução da cabeça do epidídimo (obstrução do fluxo espermático), uso prolongado de determinados medicamentos, entre outras. 

Pode se manifestar de forma unilateral (afetar apenas um testículo), quando a causa é local, ou bilateral (afetar ambos os testículos), quando é determinada por afecções sistêmicas. A gravidade varia de acordo com o tipo, severidade e duração da causa.

Inicialmente, o testículo apresenta-se mais flácido à palpação e seu volume pode estar normal ou discretamente reduzido. Em casos mais avançados, o testículo apresenta volume reduzido e consistência mais firme, devido à fibrose intersticial. 

Acomete tanto cães quanto gatos, sem predisposição racial e faixa etária específica, embora animais idosos apresentem maior propensão à ocorrência de degeneração. Em animais jovens, a distinção entre degeneração e hipoplasia testicular pode ser difícil, mas geralmente ambas estão associadas, uma vez que testículos com hipoplasia tem predisposição à degeneração.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Infertilidade 

- Subfertilidade

- Tamanho reduzido do testículo 

- Testículo(s) flácido(s) à palpação

- Testículo(s) firme(s) à palpação

- Oligospermia 

- Azoospermia

Diagnóstico

Associação entre história clínica detalhada, exames físicos e laboratoriais.

- Exame andrológico

- Ultrassonografia 

- Histopatológico 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento depende da gravidade do quadro. Em casos leves pode ocorrer a recuperação da fertilidade após a retirada da causa primária, porém em quadros mais avançados não é possível o restabelecimento da função reprodutiva devido ao dano ao testículo e a remoção cirúrgica (castração) é indicada. 

Prevenção

A prevenção baseia-se em evitar a ocorrência dos fatores que predispõem à degeneraòao testicular. 

Recomenda-se que o tutor(a) forneça ao animal uma dieta equilibrada e de boa qualidade evitando, assim, possíveis deficiências ou excessos nutricionais, bem como realizar acompanhamento periódico com o(a) médico(a) veterinário(a) a fim de avaliar o estado de saúde do animal, facilitando o diagnóstico precoce de possíveis alterações e tratamento adequado caso seja necessário.

Referências Bibliográficas

CARDILLI D.J. et al. Alterações do padrão ultrassonográfico do parênquima testicular em bovinos jovens da raça Nelore. Acta Scientiae Veterinariae, 37(4): 367-370, 2009. 

CUNHA, M. S., BONATO, D. V., TAIRA, A. R., & TEIXEIRA, P. P. M. (2015). Degeneração Testicular em machos: dos animais ao homem. INVESTIGAÇÃO, 14(6).

DOMINGOS, T. C. S.; SALOMÃO, M. C. Meios de diagnóstico das principais afecções testiculares em cães: revisão de literatura. Revista Brasileira de Reprodução Animal, v. 35, n. 4, p. 393-399, 2011

FONSECA, C. V. de C. V. da. Prevalência e Tipos de Alterações Testiculares em Canídeos 2009. 87f. Dissertação (mestrado em Medicina Veterinária) – Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2009. 

JERICÓ, M. M.; ANDRADE NETO, J. P. de; KOGIKA, M. M.Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Ed. 2. São Paulo: ROCA, 2015.

LAGERLOF, N. Infertility in male domestic animals. Veterinary Medicine. 33:550-561, 1938. 

NASCIMENTO, E.F. et al. Sistema Reprodutivo Masculino. In: SANTOS R. L.; ALESSI. A. C. Patologia Veterinária. São Paulo: Roca, 2010, p. 855-880. 

WEISS, RR. Et al. Relato de caso: degeneração testicular em cão pelo uso de doramectina. Vet. e Zootecnia 23(1): 78-82, 2016.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora