Tudo sobre: Dentes Retidos

Introdução

Os cães e gatos passam pelo período de troca dos dentes de leite pelos dentes permanentes por volta do quinto mês de vida. Durante esse processo, podem haver dentes que não caem sozinhos, apesar do nascimento dos novos dentes, ocasionando um maior número de dentes amontoados e muito próximos um do outro, devido ao espaço limitado para todos ele. Esses dentes de leite que continuam presentes, mesmo após o nascimento do dente permanente são chamados de dentes decíduos persistentes, ou dentes retidos e ocorrem principalmente em cães de raças pequenas.

Os dentes retidos ficam posicionados no local onde o dente permanente deveria se posicionar, fazendo com que os dentes, tanto o permanente quando o dente retido, não fiquem na sua posição anatômica normal. Quando o animal morde de forma inadequada por causa do posicionamento amontoado desses dentes, o movimento contínuo provoca ainda outros problemas orais, como o desconforto à mordedura, mastigação inadequada dos alimentos, desgaste de outros dentes saudáveis e ainda machucados na gengiva.

Além dos problemas de mastigação, ainda há uma maior formação de placa bacteriana nos dentes retidos e permanentes que ficam encostados um no outro. Com o menor espaço entre os dentes aumenta o acúmulo de sujeira, pois durante a mastigação não ocorre o atrito entre os dentes e existe uma maior dificuldade na escovação dos mesmos, podendo provocar doença periodontal, “tártaro” e até a perda de dentes.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Desgaste anormal dos dentes

- Lesões na cavidade oral

Quando existe doença periodontal secundária, pode-se observar:

- Dor

- Halitose

- Sialorreia

- Disfagia

- Emagrecimento

- Inapetência

- Anorexia

- Gengivite

- Corrimento

- Hemorragia gengival

Diagnóstico

Exame clínico da cavidade oral e observação visual do dente retido.

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

Extração, que é a remoção cirúrgica do dente retido, e deve ser realizada o quanto antes por um profissional habilitado.

Prevenção

A prevenção de problemas em decorrência de um dente retido é o tratamento (extração) o quanto antes. Os cuidados com a saúde oral devem ser frequentes e a limpeza dos dentes e observação durante a troca de dentição é essencial para uma saúde bucal adequada por toda a vida do animal.

Referências Bibliográficas

SANTOS, Ivan FC et al. PERSISTÊNCIA DE DENTES DECÍDUOS EM CÃO (Canis familiares): relato de caso. Revista Científica da UEM: Série Ciências Agronómicas, Florestais e Veterinárias, v. 1, 2014.

SANTOS, Neila Sodré; CARLOS, Renata Santiago Alberto; ALBUQUERQUE, George Rêgo. Doença periodontal em cães e gatos-revisão de literatura. Medvep - Revista Científica de Medicina Veterinária - Pequenos Animais e Animais de Estimação; 2012; 10(32); 30-41

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora