Tudo sobre: Divertículos Vesicouracais

Introdução

O úraco é uma estrutura embrionária que permite que a urina do feto seja conduzida pela placenta, onde é absorvida pela circulação materna e então é excretada com a urina da mãe. Quando o filhote nasce, o úraco se fecha e a urina é eliminada pela uretra. Quando uma porção do úraco não se fecha, uma projeção convexa ou cônica surge no interior da bexiga, a isto se dá o nome de divertículo vesicouracal. 

Divertículos vesicouracais são uma anomalia congênita ou adquirida caracterizada por divertículos macroscópicos no vértice da bexiga, associada ao aumento de pressão no interior da bexiga, consequência de obstrução uretral ou distúrbios do trato urinário inferior (uretra, bexiga, vagina ou pênis). Os divertículos vesicouracais podem predispor à infecção do trato urinário.

Essa afecção pode acometer cães, mas é mais frequente em gatos que apresentam como sinais clínicos hematúria (presença de sangue na urina), disúria (dificuldade de urinar) e/ ou obstrução uretral.

O diagnóstico é obtido por meio da uretrocistografia com contraste positivo ou contraste duplo (exame de imagem). O tratamento é baseado no controle da infecção do trato urinário e, quando necessário, na remoção cirúrgica dos divertículos.

Transmissão

-Congênita

-Adquirida

Manifestações clínicas

-Hematúria

-Disúria

-Polaciúria

-Incontinência urinária

-Cistites recorrentes

Diagnóstico

-Anamnese, histórico e sinais clínicos

-Uretrocistografia com contraste positivo ou duplo

-Cistografia retrógrada

-Radiografia

-Ultrassonografia abdominal

-Cultura e antibiograma

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O objetivo do tratamento é atuar nas causas que estejam aumentando a pressão intraluminal (no interior) da bexiga e na infecção urinária. Em animais com a bexiga repleta (cheia), recomenda-se o esvaziamento da bexiga e coleta da urina para realização de urinálise e cultura. Assim, com base no resultado do antibiograma, é instituída antibioticoterapia.

Quando não há resposta ao tratamento convencional e os animais apresentam cistite (infecção de urina) recorrente ou tornam-se refratários, é recomendada a diverticulectomia (remoção cirúrgica dos divertículos).

Prevenção

Os felinos são frequentemente acometidos por doenças do trato urinário inferior, então, o acompanhamento por um(a) médico(a) veterinário(a) é recomendado, pois tais afecções podem levar ao desenvolvimento de divertículos vesicouracais e outras patologias.

Referências Bibliográficas

PORTELA, J. V.; et al. Diagnóstico de divertículo vésico-uracal, em um felino, através da cistografia retrógrada. Ciência Animal, v.28, n.3, p.82-88, 2018.

CRIVELLENTI, L. Z.; BORIN-CRIVELLENTI, S. Casos de rotina em medicina veterinária de pequenos animais.2 Ed. São Paulo: Editora MedVet, 2015. 

SILVEIRA, B.P. et al. Cistite crônica relacionada a divertículo vesico-uracal em cão. Relato de caso. PUBVET, Londrina, v. 5, n. 19, Ed. 166, Art. 1118, 2011.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora