Tudo sobre: Doenças Endomiocárdicas

Introdução

As cardiopatias podem ser agrupadas de acordo com a região do coração que é afetada. As doenças endomiocárdicas afetam a região interna e o tecido muscular do coração. Essas doenças possuem causas variadas como infecções bacterianas, virais, fúngicas, por protozoários, causas neoplásicas, isquêmicas, tóxicas, urêmicas e congênitas, como a fibroelastose endomiocárdica em gatos. Como as causas são variadas, pode acometer animais de diferentes espécies, idades, machos e fêmeas. 

Quando a causa é inflamatória, recebe o nome de endomiocardite ou endocardite mural. Geralmente a lesão se inicia nas válvulas e se estende para as paredes cardíacas. Deslocamento de trombos sépticos, resultantes de processos infecciosos em outros órgãos podem chegar ao coração por via hematógena, gerar inflamação local e o curso pode ser fatal. As bactérias mais comumente isoladas em cães e gatos são Staphiloccocus aureus, Streptococus sp. e Escherichia coli. 

Dentre os agentes virais envolvidos em doenças endomiocárdicas em cães, os Herpesvírus, Parvovírus e vírus da cinomose são os mais comuns. Já em gatos, o Coronavírus, responsável pela peritonite infecciosa felina (PIF) e os retrovírus responsáveis pela imunodeficiência felina (FIV) e a leucemia viral felina (FeLV) causam doença sistêmica acometendo inclusive o coração. 

A leishmaniose, a neosporose, toxoplasmose e a tripanossomose são doenças sistêmicas causadas por protozoários que se instalam também no músculo cardíaco causando inflamação, necrose e substituição do tecido cardíaco por tecido fibroso, que não tem função contrátil.

A aspergilose, a blastomicose e a coccidiomicose são as doenças causadas por fungos e podem provocar miocardite mural.

Metástases para o coração de neoplasias de mama, melanomas, hemangiossarcomas, linfomas e carcinomas não são incomuns, sendo o linfoma a neoplasia mais frequente. As neoplasias primárias do coração são menos comuns do que as metástases, mas também são causa importante de disfunção cardíaca. O hemangiossarcoma é a mais frequente, mas há ainda os tumores da base do coração e os de corpo da aorta. 

Plantas e drogas podem apresentar cardiotoxicidade, afetando a contração miocárdica. A azaleia (Rhododendron sp.), a espirradeira (Nerium oleander) e a flor-da-fortuna (gênero Kalanchoe) possuem princípios cardiotóxicos assim como os medicamentos Doxorrubicina e o xarope de Ipeca, que podem causar danos ao miocárdio levando à insuficiência cardíaca se usados cronicamente. 

Embora infartos miocárdicos sejam menos comuns em cães e gatos do que em humanos, estes podem ocorrer devido a obstrução vascular por trombos, ou por necrose secundária a miocardites. 

A insuficiência renal, doença muito comum em cães e gatos, gera a síndrome urêmica, que consiste no excesso de ureia e creatinina na circulação sanguínea. A ureia é tóxica para o organismo e provoca degeneração do tecido cardíaco e de vasos afetando a contratilidade.

Transmissão

Em doenças endomiocárdicas de origem infecciosa a transmissão depende do agente causador e pode incluir:

-Transmissão via aerossóis (viroses)

-Contaminaçõa ambiental (viroses e doenças bacterianas)

-Água e alimentos contaminados (viroses)

-Inalação de esporos (fúngicas)

Manifestações clínicas

Assintomático

Sintomas que podem estar presentes (isolados ou em conjunto)

-Taquipneia ao esforço

-Dispneia

-Fraqueza

-Intolerância ao exercício

-Síncope

-Distúrbios do ritmo cardíaco

-Congestão hepática (secundário a insuficiência)

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, exame físico e exames laboratoriais.

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Radiografia torácica

-Eletrocardiograma

-Ecocardiograma

-Hemograma

-Perfil bioquímico

-Função renal

-Função hepática

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento é baseado na causa base e nas manifestações clínicas que o animal apresentar. Antibioticoterapia, antifúngicos e antiinflamatórios são os grupos medicamentosos mais utilizados.

Prevenção

Manter a saúde geral é o ponto chave para prevenção de doenças endomiocárdicas, para tanto alimentação e água de boa qualidade, ambiente limpo e vacinas em dia são essenciais. Visitas periódicas ao médico veterinário são importantes para orientações de manejo e diagnóstico precoce de doenças cardíacas. 

Referências Bibliográficas

JERICÓ, M.M.; KOGIKA, M.M.; ANDRADE NETO, J.P. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos/ Márcia Marques Jericó, Márcia Mery Kogika, João Pedro de Andrade Neto. Ed. Roca, 1 ed., 7047 p., Rio de Janeiro, 2015.

OCARINO, N.M.; PAIXÃO, T.A.; CARVALHO, E.C.Q.; GIMENO, E.J. Sistema Cardiovascular. Em: Patologia Veterinária/ Renato de Lima Santos e Antônio Carlos Alessi. Ed. Guanabara Koogan, 2 ed., p. 98-159, Rio de Janeiro, 2016.

PEREIRA NETO, G.B. Disfunção Miocárdica na Sepse. Em: Emergências de Pequenos Animais/Rodrigo Rabelo. Ed. Elsevier, 1 ed., p. 474-480, Rio de Janeiro, 2012.

LITTLE, S.E. O Gato Medicina Interna. .Ed. Guanabara Coogan, 1 ed., 1913 p. ,Rio de Janeiro, 2015.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora