Tudo sobre: Dor Aguda, Crônica e Pós-operatória

Introdução

A avaliação da dor em animais é difícil por ser realizada de forma subjetiva, por meio da interpretação do comportamento do animal e das reações a estímulos, diferentemente do que ocorre nos humanos em que há a comunicação verbal entre médico e paciente. Além disso, os animais manifestam alterações em seu comportamento induzidas pela mudança de ambiente, o que prejudica a avaliação da dor quando são levados ao Médico Veterinário, sendo os tutores importantes parceiros na observação da manifestação de dor de seus pets dentro de casa.

O processo doloroso envolve os aspectos sensoriais, emocionais e cognitivos que representam a percepção de dano ou ameaça à integridade. Como resposta a este estímulo, surgem mudanças fisiológicas e comportamentais que visam promover a recuperação dos danos, ou mesmo reduzi-los ou evitá-los.

A dor aguda é caracterizada como decorrente de uma injúria específica e seu tempo de duração está relacionado ao da lesão propriamente dita e, à medida que os tecidos cicatrizam, a sensação dolorosa reduz gradativamente. A duração da dor em animais é de até três meses para ser considerada aguda e, após este período, será tratada como crônica. A dor crônica é aquela que persiste além do período normal de cura, estando associada à não ocorrência total ou parcial do processo cicatricial, remissão ou recorrência de uma afecção, sendo considerada como um estado de doença. A dor pós-operatória, por sua vez, deve se manifestar como um processo doloroso agudo, o qual tende a diminuir à medida em que ocorre a cicatrização tecidual. Caso o animal manifeste dor intensa e incessante após ser submetido a algum procedimento cirúrgico, o médico veterinário deve ser consultado.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais clínicos isolados ou em conjunto:

-Vocalização

-Apatia

-Excitação

-Lamber repetidamente uma parte específica do corpo

-Anorexia

-Hiporexia

-Polifagia

-Polidipsia

-Oligodipsia

-Bradipneia

-Ataxia

-Claudicação

-Hipometria

Diagnóstico

Associação de anamnese e exame físico

-Radiografia

-Ultrassonografia

-Escalas de dor já estabelecidas

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

Para o eficaz alívio da dor deve-se, antes de mais nada, investigar sua origem e intensidade. É recomendado que a avaliação da dor seja realizada em conjunto com a monitoração de parâmetros como temperatura e frequências cardíaca e respiratória.

Nos casos de dor aguda e pós-operatória, a base farmacológica utilizada para controle é a dos anti-inflamatórios não esteróides (AINE’s) associados a analgésicos. O tratamento é continuado até que a resposta inflamatória e/ ou dolorosa cesse.

Em casos de dor crônica, o tratamento é apenas paliativo para promover um melhor conforto ao animal, uma vez que este quadro é considerado como uma doença e sua origem deve ser definida e tratada. Os fármacos mais utilizados são dos grupos da gabapentina, amantadina e amitriptilina.

Atualmente é possível encontrar diversas técnicas complementares que promovam conforto aos animais como, por exemplo, fisioterapia, acupuntura, termoterapia, entre outras. A implementação de alguma delas deve ser sempre feita com acompanhamento e indicação de um médico veterinário e realizada por profissional capacitado.

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

BRONDANI, J. T., LUNA, S. P & PADOVANI, C. R. (2011) Refinement and initial validation of a multidimensional composite scale for use in assessing acute postoperative pain in cats. Am J Vet Res. 72, 174-83.

MICH, P.M.; HELLYERP.W. Métodos objetivos e categóricos para avaliar a dor e analgesia. . In: GAYNOR, J.S.; MUIR III, W.W. Manual de controle da dor em Medicina Veterinária. São Paulo, Roca. 2009. Ed MedVet. Cap. 6. P. 78-112. 

PERRY, A.J. Dental radiology in dogs and cats. Companion animal, London, v. 22, n. 3, p. 150-159, mar/ 2017. STEEDS, C. E. The anatomy and physiology of the pain. Surgery, Oxford, v. 31, n. 2, p. 49-53, 2013.

RIALLAND, P.; AUTHIER, S.; GUILLOT, M.; DEL CASTILLO, J. R. E.; VEILLEUX-LEMIEUX, D.; FRANK, D.; GAUVIN, D.; TRONCY, E. Validation of Orthopedic Postoperative Pain Assessment Methods for Dogs: A Prospective, Blinded, Randomized, Placebo-Controlled Study. Public Library of Science, San Francisco, v. 7, n. 11, p. 1-10, 2012.

STUBSJOEN, S. M.; BOHLING, J.; SKJERVE, E.; VALLE, P. S.; ZANELLA, A. J. Applying fractal analysis to heart rate time series of sheep experiencing pain. Physiology & Behavior, Elmsford, v. 101, n.1, p. 74–80, 2010.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora