Tudo sobre: Edema Pulmonar

Introdução

Edema pulmonar é o acúmulo de líquido no interior dos pulmões, ou seja, fora do espaço intravascular. No começo, esse líquido encontra-se no espaço intersticial, e depois progride para os alvéolos e vias aéreas. Acomete diversas espécies animais, dentre ela os cães e gatos, podendo ocorrer em qualquer idade, sexo ou raça. 

Pode ter origem cardiogênica, ou seja, por alguma insuficiência cardíaca em bombear o sangue, causando aumento da pressão intravascular, ou de origem não cardiogênica, devido a alguma condição associada que cause aumento de permeabilidade vascular, tal como inalação de gases tóxicos, fumaça, secreções gástricas, infecção pulmonar aguda, endotoxemia, hipovolemia, sepse, pancreatite, trauma, anafilaxia, doença imunomediada, herbicidas, organofosforados, uremia, exposição prolongada a altas doses de oxigênio, obstrução da drenagem linfática por neoplásicas, hipoalbuminemia, sobrecarga hídrica, tromboembolismo pulmonar, choques elétricos, entre outros. As causas mais comuns de edema pulmonar de origem cardiogênica em cães são afecção valvar degenerativa crônica, sendo a válvula mitral a mais envolvida em pacientes idosos de pequeno porte, e cardiomiopatia dilatada em cães de grande porte. Nos felinos domésticos, a cardiomiopatia hipertrófica é a principal responsável por edema pulmonar cardiogênico. O edema pulmonar causado por permeabilidade vascular aumentada é de difícil diagnóstico, sendo denominado Síndrome da Angústia Respiratória do adulto na medicina humana. Nesses casos, a sintomatologia clínica é grave e de progressão rápida.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Tosse

- Dispneia (intensidade variada)

- Taquipneia

- Ortopneia (animal evita deitar-se) 

- Respiração com boca aberta 

- Outros sinais clínicos da doença primária que origina o edema pulmonar*

Diagnóstico

Associação da anamnese detalhada aos exame físico e complementares pelo(a) médico(a) veterinário(a). Exames que podem ser solicitados:

 - Hemograma completo

- Radiografia torácica

- Ultrassonografia torácica

- Exame ecocardiográficos

- Mensuração de proteínas séricas 

 Observação: A realização e a definição da necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

Por tratar-se de uma urgência e até emergência clínica, é necessário atendimento rápido e o início dos tratamentos essenciais para a estabilização do quadro. A terapia para edema pulmonar depende dos achados clínicos, geralmente consistindo na utilização de oxigenoterapia, repouso, utilização de broncodilatadores e diuréticos. Em alguns casos de desconforto respiratório intenso, pode ser necessária a sedação do animal. O objetivo do tratamento é aliviar a condição respiratória do(a) paciente antes mesmo da realização de exames complementares, uma vez que o estresse do atendimento pode levar o pet à óbito. 

Para que não ocorram recidivas, a causa primária deve ser diagnosticada e tratada. No caso de alterações cardíaca, a terapia medicamentosa deve ser realizada para melhorar a função cardíaca e reduzir a formação de edema, promovendo perfusão tecidual e reduzindo o estresse do animal. 

Prevenção

A única forma de prevenção é levar o pet regularmente a consultas veterinárias para o diagnóstico precoce de possíveis doenças cardíacas, além de realização de exames complementares regularmente para manutenção da sua saúde. 

Referências Bibliográficas

MURAKAMI, Vanessa Yurika; PRÓPERO, Manuela Barbui; MONTANHA, Francisco Pizzolato; PNEUMONIA E EDEMA PULMONAR: ESTUDO COMPARATIVO. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN: 1679-7353; Ano IX - Número 17 - Julho de 2011 - Periódicos Semestral. 

JERICO, M, M; NETO, J, P, A; KOGIKA, M, M; TRATADO DE MEDICINA INTERNA DE CÃES E GATOS; EDITORA GUANABARA KOOGAN LTDA- Rio de Janeiro - RJ - 2015. 

LUZ, F, P; EDEMA PULMONAR CARDIOGÊNICO EM CÃO; Porto Alegre - 2019.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso