Tudo sobre: Esteatite

Introdução

A esteatite é caracterizada pela inflamação do tecido adiposo. Pode ser também denominada de “doença da gordura amarela”, “pansteatite” e “paniculite”. A paniculite em si corresponde à inflamação do tecido adiposo subcutâneo que pode resultar na formação de nódulos palpáveis na pele.

Esse processo inflamatório pode ocorrer de forma primária, ou seja, quando o próprio tecido adiposo é o alvo da alteração, ou secundária, quando a inflamação em outros tecidos se estende à gordura adjacente. Várias podem ser as causas dessa patologia como dieta com alto teor de gordura insaturada e baixa atividade antioxidante, infecção por fungos ou bactérias, distúrbio inflamatório, vasculopatia, neoplasia e doença imunomediada. Alguns casos podem estar associados ao fornecimento de dieta à base de peixe e outros podem ser idiopáticos. 

É uma doença rara, sendo mais comum em gatos. Ocorre com maior frequência em gatos jovens e de meia-idade, e em cães têm maior prevalência em idosos. Não há predileção por gênero e raça. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Hiporexia 

- Letargia 

- Fadiga 

- Relutância a se mover, saltar e brincar

- Dor abdominal 

- Pirexia 

- Tecido subcutâneo nodular 

- Pelagem opaca

- Pele oleosa e escamosa 

Diagnóstico

Associação entre anamnese detalhada e exames físico e complementares.

Exames que o(a) Médico(a) Veterinário(a) pode solicitar/realizar:

- Hemograma

- Urinálise

- Cultura fúngica/bacteriana

- Teste FIV/FeLV (felinos)

- Radiografia abdominal

- Ultrassonografia abdominal

- Citologia guiada por ultrassonografia

- Biópsia guiada por ultrassonografia

- Histologia de amostra de biópsia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento pode variar de acordo com as doenças concomitantes. Pode ser recomendada terapia estimulante de apetite, bem como alteração na dieta. 

Anti-inflamatórios, analgésicos e antipiréticos podem ser utilizados de acordo com a necessidade.

Prevenção

Uma forma de prevenção é o fornecimento de dieta balanceada, de qualidade e em quantidade suficiente para não ocorrer deficiências nem excessos. Além disso, mudanças na dieta dos animais devem ser feitas de maneira gradual, de acordo com a indicação do(a) médico(a) veterinário(a).

Referências Bibliográficas

NELSON, Richard W. et al. Medicina Interna de Pequenos Animais. Ed. Elsevier, ed. 5, cap. 40, 2015. 

TILLEY, Larry P.; JUNIOR, F. W. K. S. Consulta Veterinária em cinco minutos: Espécies canina e felina. Ed. Manole, ed. 5, p. 656-657.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso