Tudo sobre: Gastrite

Introdução

Gastrite é a inflamação das camadas que compõem o estômago. Este órgão é composto por quatro camadas: serosa, muscular, submucosa e mucosa. Esta última está localizada mais internamente, é composta por células produtoras de muco e bicarbonato que oferecem a proteção desta camada e das adjacentes do conteúdo estomacal ácido e da ação de enzimas. Essa alteração pode ser primária, advinda de alterações da própria fisiologia e anatomia gástrica, ou secundária a alguma doenças ou fator que pode levar a essa alteração. Dentre as mais comuns está a administração de anti-inflamatórios não esteroidais, ingestão de substâncias químicas irritantes, corpo estranho, agentes infecciosos (ex. bactérias e vírus), alteração do sistema imunológico, entre outras. 

É de extrema importância diferenciar se o animal está apresentando vômito ou regurgitação. Esta última ocorre sem esforço muscular e o alimento geralmente não é digerido, ou seja, ele não perde o formato original. No vômito o paciente apresenta mímica com contração muscular vigorosa, o que não ocorre na regurgitação, e o alimento comumente está digerido.

Para o diagnóstico desta afecção é necessário que descubra se é primária ou secundária, ou seja, avaliar se não há uma doença base que esteja provocando essa inflamação. Em alteração primárias e agudas, o hemograma pode estar normal ou com anemia em casos de sangramento mais leve, no entanto, em casos mais crônicos pode haver anemia mais grave, em que o corpo não está regenerando as células sanguíneas perdidas.

Nos casos secundários, por exemplo em doenças parasitárias, pode ocorrer aumento de células de defesa em situação de irritação/ alergia (eosinofilia), em doenças virais o paciente pode apresentar queda das células de defesa de fase aguda (neutropenia), já em infecções bacterianas ou em doença inflamatória intestinal pode haver aumento das células de defesa de fase aguda (neutrofilia).

Além do hemograma, é necessário realizar exames bioquímicos para descartar se existe alguma alteração em fígado ou em rim, assim como sugerir a existência alguma alteração endócrina.

O vômito, quando ocorre de forma mais aguda, com vários episódios, pode levar à perda de eletrólitos resultando em desequilíbrios sistêmicos, por isso a dosagem desses componentes é de extrema necessidade, principalmente o potássio, sódio e cloro.

A radiografia pode ser realizada para avaliar se existe dilatação, alteração no posicionamento estomacal e corpo estranho que seja visível neste exame. Já na radiografia contrastada, em que o paciente ingere contraste, auxilia na visualização de estreitamento ou obstrução. Nesta alteração, é um método que contribui pouco para o diagnóstico, sendo pouco sensível. 

A ultrassonografia é um método interessante e fornece informações sobre a espessura e morfologia da parede gástrica que podem sugerir um processo inflamatório. Já a endoscopia, exame complementar de imagem com maior acurácia e mais indicado, possibilita a visualização direta da mucosa gástrica, permitindo avaliar o grau da inflamação, áreas hemorrágicas e possíveis úlceras, auxiliando na conduta terapêutica.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

Os sinais clínicos são inespecíficos, fazendo com que a gastrite possa ser confundida facilmente com outras doenças. O paciente pode apresentar:

- Êmese

- Apatia

- Hematêmese

- Anorexia

- Melena

- Desconforto abdominal

- Anemia

Diagnóstico

Associação entre o exame clínico e os exames complementares. O(a) Médico(a) Veterinário (a) pode solicitar os seguintes exames:

- Hemograma completo

- TGP - ALT

- TGO- AST

- Bioquímico - Albumina

- Ureia

- Creatinofosfoquinase (CPK)

- Bioquímico - cloro (cloreto)

- (SDMA) Dimetilarginina simétrica

- Bioquímico - sódio

- Bioquímico - potássio

- Radiografia abdominal

- Ultrassonografia abdominal

- Endoscopia digestiva alta

Tratamento

O tratamento realizado deve iniciar na resolução da causa base, caso exista. Administração de protetores gástricos e medicações que auxiliam na recuperação de lesões ulcerativas, na redução da inflamação e proteção da parede estomacal. A proteção da mucosa gástrica é extremamente necessária para evitar a progressão das alterações

Em pacientes que estão apresentando vômito, é necessário entrar com medicação para controlar os episódios e com tratamento suporte para controlar e evitar alterações em eletrólitos. Nos casos em que o paciente apresenta anemia, indica-se a suplementação caso a mesma seja carencial.

Prevenção

Em algumas situações é possível evitar essa afecção, impedindo que os cães e gatos ingiram substâncias químicas irritantes e objetos estranhos.

O uso de anti-inflamatórios não esteroidais deve ser feito apenas após prescrição veterinária e durante o período recomendado. 

Alguns agentes infecciosos são passíveis de se prevenir através da realização da vacinação anual dos animais de companhia com vacinas polivalentes.

Referências Bibliográficas

JERICÓ, Marcia; NETO, João; KOGIKA, Márcia. Doenças Gástricas: Gastrite Aguda. In: SANTOS, Maria et alDoenças Gástricas: Gastrite Aguda. 1. ed.. ed. Rio de Janeiro: EDITORA GUANABARA KOOGAN LTDA., 2015. v. I, cap. 115, p. 2943-2970. ISBN 978-85-277-2666-5.

ELIAS, Fabiana et al. Aspectos clínico-patológicos da gastrite ulcerativa em gatos associadas uso de anti-inflamatórios não esteroides. ACTA VETERINARIA BRASILICA, 2015 v. 9, n. 3, p. 279-283. ISSN 1981-5484.

ARNALDO, Marilac Maria Alencar et al. Margem de segurança do meloxicam em cães: efeitos deletérios nas células sanguíneas e trato gastrintestinal. Ciência rural, v. 33, n. 3, p. 525-532, 2003.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso