Tudo sobre: Hemoplasmose

Introdução

A hemoplasmose é uma doença infecciosa que acomete os gatos. Pode ser também conhecida pelos nomes anemia infecciosa felina, micoplasmose felina e, antigamente, por bartonelose felina. É uma doença que provoca anemia podendo variar de leve a intensa dependendo da espécie do agente infeccioso que é contraída pelo pet.

A transmissão não é completamente entendida, mas é possível que os gatos adquiram o causador da doença durante ferimentos por brigas ou pela ingestão de pulgas infectadas. A classificação deste causador é complexa e já foi alterada ao longo de estudos genéticos, mas atualmente considera-se que seja uma bactéria.

A distribuição da doença é mundial, sendo importante causa de doença em felinos, podendo ser uma causa primária de anemia ou mesmo atuar em infecções secundárias. Atinge pets de todas as faixas etárias e ambos sexos. Até o momento, três espécies de micoplasmas já foram detectadas no Brasil: Mycoplasma haemofelis, Candidatus Mycoplasma haemonminutum e Candidatus Mycoplasma turicensis

Existe uma forma aguda da enfermidade, isto é, que provoca sinais clínicos importantes logo após a infecção, e outra que atua mais comumente em gatos com o sistema imunológico enfraquecido ou que passaram por remoção cirúrgica do baço por causa de outra doença. Causas infecciosas de comprometimento do sistema imune como a FIV e FeLV e tumores (neoplasias) podem predispor à ocorrência desta doença.

O Mycoplasma é capaz de invadir o sistema circulatório dos pets e, com isso, parasitar suas células vermelhas (hemácias), fazendo com que o próprio sistema imunológico do gato ataque estas células e provoque anemia.

Transmissão

- Transfusão sanguinea

- Picada de artropodes

- Transplacentária

Manifestações clínicas

Assintomático

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

- Apatia

- Anorexia

- Mucosas hipocoradas

- Fraqueza

- Icterícia

Diagnóstico

- Hemograma completo

- Esfregaço sanguíneo

- PCR

- Bilirrubina

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento da hemoplasmose envolve o uso de antibióticos específicos contra o agente causador da doença, assim como medicamentos que auxiliem na recuperação de pets enfermos. Pode ser necessário o uso de fluidoterapia intravenosa (“soro”), esteroides contra anemias hemolíticas graves e em casos graves, transfusão sanguínea.

Além disso, é importante combater as pulgas com medicamentos repelentes orais ou do tipo pour-on (líquidos colocados no dorso do pet) ou coleiras repelentes.

Prevenção

A hemoplasmose é uma doença que pode variar desde assintomática até manifestações que podem comprometer seriamente a vida do pet, portanto é de grande importância manter em dia o controle de pulgas e carrapatos dos gatos, bem como evitar o acesso livre do pet à rua. O risco de envolver-se em brigas ou adquirir parasitas infectados é maior nos pets com acesso livre à rua, portanto manter os gatos em criação domiciliada (também conhecida como indoor) traz grandes benefícios à sua saúde. Além disso, para o controle de pulgas no ambiente, é importante fazer limpeza regular dos locais e acessórios como camas e panos utilizados pelos pets, assim como realizar limpeza com aspirador em pó nos pisos e regiões com frestas que possam abrigar os parasitas.

Referências Bibliográficas

BARKER, Emi N. Update on Feline Hemoplasmosis. Veterinary Clinics: Small Animal Practice, v. 49, n. 4, p. 733-743, 2019.

CRIVELLENTIN, L. Z.; BORIN-CRIVELLENTIN, S. Casos de rotina em medicina veterinária de pequenos animais. São Paulo, 2ª edição, MedVet, 2015.

GREENE, Craig E. Doenças infecciosas em cães e gatos . Grupo Gen-Editora Roca Ltda., 2015.

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de medicina interna de cães e gatos. 2015.

NELSON, Richard; COUTO, C. Guillermo. Medicina interna de pequenos animais. Elsevier Brasil, 2015.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso