Tudo sobre: Hepatite Granulomatosa

Introdução

Quando existe uma infecção no organismo, ou seja, a invasão por um microrganismo que pode vir a causar doença, o corpo utiliza alguns mecanismos de defesa para que esse agente agressor não se instale com facilidade. Se o corpo não consegue a eliminação direta do agente por meio das células de defesa, um último recurso é cercar o invasor com uma parede de células, fazendo-o ficar aprisionado em uma cápsula ou um nódulo. Nesse caso, chamamos a formação de nódulos de granulomas e quando ocorrem no fígado podem ocasionar uma Hepatite granulomatosa, que é a inflamação do fígado por causa da infecção. 

A hepatite granulomatosa não é comum em cães e gatos, mas existe a possibilidade de ocorrência principalmente após infecções por bactérias ou parasitas que danificam a estrutura do fígado. Histoplasmose, leishmaniose, doenças do carrapato, toxoplasmose e parasitas intestinais são alguns exemplos de possíveis origens de hepatite. Outras causas para hepatite granulomatosa são a ocorrência de câncer no fígado, intoxicação por metais pesados ou reações após a utilização de medicamentos.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Anorexia

-Emagrecimento

-Caquexia

-Apatia

-Êmese 

-Poliúria 

-Polidipsia

-Diarreia

-Letargia

-Dor

-Taquipneia

-Hiperalgia

-Icterícia

-Ascite

-Distensão abdominal

-Hepatomegalia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Hemograma completo

-Urinálise simples

-Bilirrubinas (Direta, Indireta e Total)

-Albumina

-Proteínas totais + Frações

-Imunoglobulina A (IgA)

-Imunoglobulina G (IgG)

-Imunoglobulina M (IgM)

-Uréia

-AST – TGO

-ALT – TGP

-Fósforo

-Gama GT

-CPK (creatinofosfoquinase)

-Fosfatase Alcalina (F.A.)

-Coagulograma

-Biópsia 

-Ultrassonografia

-Radiografia 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

A causa principal da hepatite sempre deve ser tratada. No caso de infecções, deve ser realizado o correto diagnóstico e tratamento da doença em questão. Intoxicações e outras causas também devem ser tratadas de forma adequada. A severidade da hepatite deve ser determinada para que seja feita uma dieta adequada ao tratamento, nos casos avançados deve ser feita uma restrição de proteínas na dieta, sempre avaliada pelo médico veterinário pois a restrição proteica em casos não recomendados pode causar prejuízos ao animal.

Se o animal estiver utilizando medicamentos que podem estar causando a hepatite, a recomendação é a suspensão do uso até a determinação da causa do problema. Os sintomas da hepatite também devem ser tratados separadamente da causa do problema, e especificamente para cada caso.

Prevenção

Os cuidados gerais com a saúde do animal são a melhor prevenção para a hepatite granulomatosa. Nunca utilizar medicamentos sem a prescrição veterinária, evitar o contato do animal com produtos potencialmente tóxicos e evitar a ingestão de metais pesados. 

Realizar a prevenção de doenças infecciosas e de parasitas e se atentar aos cuidados de higiene do animal e do ambiente em que ele vive. Sempre que identificados sintomas ou comportamentos estranhos no cão ou gato, deve-se procurar ajuda profissional, pois quanto antes o diagnóstico é realizado, menores as sequelas para o pet.

Referências Bibliográficas

DADALTO, Carmel Rezende et al. ABSCESSO HEPÁTICO EM CÃO. In: VI JORNACITEC-Jornada Científica e Tecnológica. 2017.

HOWES, Flávia. Hepatopatias crônicas em cães. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização: Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Curso de Especialização em Residência em Área Profissional de Saúde- Medicina Veterinária: Clínica Médica de Pequenos Animais, RS, 2011. 

OLIVEIRA, JOAQUIM; CÔRTE-REAL, R. Rickettsia infections in Portugal. Acta medica portuguesa, v. 12, n. 12, p. 313-21, 1999.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso