Tudo sobre: Hepatopatia Diabética

Introdução

A hepatopatia diabética é caracterizada por uma hepatopatia degenerativa vacuolar lipídica e colapso parenquimatosos, devido às alterações do metabolismo dos lipídios decorrentes da Diabetes mellitus. Esse acúmulo vacuolar de lipídios nos hepatócitos (células hepáticas) é conhecido como esteatose em cães. Felinos acima do peso apresentam maiores chances de desenvolver Diabetes mellitus e quando entram em quadro de anorexia podem desenvolver lipidose hepática.

Acomete principalmente cães de meia idade a idosos, não havendo predisposição racial. 

Animais acima do peso apresentam maior predisposição a desenvolver diabetes devido à maior resistência à ação da insulina. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Emagrecimento 

- Letargia

- Poliúria 

- Polidipsia 

- Icterícia

- Anorexia

- Diarreia

- Êmese

- Claudicação

- Má condição corporal

- Lesões dolorosas no cotovelo e nos pés 

- Lesões cutâneas 

Diagnóstico

Associação entre história clínica e exames físico e complementares.

Exames que o(a) Médico(a) Veterinário(a) pode solicitar/ realizar:

- Hemograma completo

- Fosfatase alcalina (F.A)

- ALT - TGP

- AST -TGO

- Proteínas totais e frações

- Bilirrubina (direta, indireta, total)

- Urinálise

- Concentração sérica de frutosamina

- Curva glicêmica

- Glucagon plasmático

- Radiografia abdominal

- Ultrassonografia abdominal

- Biópsia hepática

*É importante realizar diagnóstico diferencial em relação à hepatopatia secundária ao hiperadrenocorticismo.

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

É essencial realizar o tratamento e controle da diabetes, uma vez que as alterações hepáticas geralmente tendem a diminuir (pelo menos 70%). Além disso, é recomendada uma dieta restrita em gordura e de alta qualidade e suplementação com ômega 3, que atua como antilipemiante. Para as lesões cutâneas é recomendado antifúngicos, antimicrobianos, banhos antissépticos. 

Prevenção

Pacientes sabidamente diabéticos devem fazer acompanhamento com um(a) médico veterinária(a) a fim de controlar a doença e impedir sua progressão. 

Apesar da Diabetes mellitus apresentar características multifatoriais, a obesidade é um fator importante para seu desenvolvimento. Portanto, o(a) responsável por cães e gatos deve fornecer uma alimentação de qualidade, balanceada e em quantidade suficiente, sem que haja excesso ou falta de nutrientes. Animais obesos devem receber tratamento e dieta adequados, prescritos de acordo com as necessidades e particularidades de cada paciente. 

Referências Bibliográficas

NELSON, Richard; COUTO, C. Guillermo. Medicina interna de pequenos animais. Elsevier Brasil, 2015.

TILLEY, Larry P.; JUNIOR, F. W. K. S. Consulta Veterinária em cinco minutos: Espécies canina e felina. Ed. Manole, ed. 5, p. 656-657.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso