Tudo sobre: Hidrocefalia

Introdução

A hidrocefalia congênita é um acúmulo anormal de líquido cefalorraquidiano dentro do sistema ventricular do cérebro que leva a sinais clínicos de encefalopatia. A fisiopatologia da lesão ao sistema nervoso central relacionada à hidrocefalia é complexa e envolve a destruição do revestimento ependimário dos ventrículos, danos à matéria branca pelo acúmulo de líquido intersticial e eventual lesão neuronal no córtex cerebral.

A hidrocefalia desenvolve-se quando há uma obstrução ao fluxo que causa um aumento do gradiente de pressão proximalmente e distalmente ao ponto de obstrução. Tais processos obstrutivos no fluxo de líquido cefalorraquidiano podem ocorrer em qualquer ponto ao longo das vias onde ele circula, desde os locais de produção até o local de absorção nos vilos aracnóides craniais e espinhais.

A hidrocefalia pode ser classificada em intraventricular e extraventricular. Na intraventricular, o processo obstrutivo ocorre no interior dos ventrículos e na extracurricular o ponto de obstrução se situa ao nível do espaço subaracnóide ou nos vilos aracnóides.

Clinicamente, a hidrocefalia em cães pode ser classificada como adquirida ou congênita, sendo que a hidrocefalia congênita é diagnosticada com mais freqüência do que a adquirida na rotina clínica veterinária.

A enfermidade é mais comum em cães de porte pequeno e nestes casos a causa mais comum é a estenose do aqueduto mesencefálico associada à fusão do colliculus rostral. As raças mais acometidas são as raças pequenas como por exemplo Chihuahua, Yorkshire Terrier, Maltês, Buldogue Inglês, Poodle miniatura, Lhasa Apso, Lulu da Pomerânia e Pequinês.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Disfunção neurológica

-Alteração de comportamento

-Andar em círculos

-Andar compulsivo

-Inquietação

-Atividade compulsiva

-Quadros convulsivos

-Disfunção vestibular e/ ou cerebelar

-Estrabismo ventrolateral bilateral

-Cabeça grande em forma de cúpula

-Fontanelas abertas

-Grandes defeitos na calota craniana 

-Cegueira

Diagnóstico

-Associação do histórico com as características clínicas 

-Ultrassonografia

-Radiografia

-Tomografia computadorizada

-Ressonância magnética

-Eletroencefalografia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário. 

Tratamento

A terapia médica pode ser eficaz em alguns pacientes, enquanto outros requerem procedimentos cirúrgicos de derivação para o controle em longo prazo dos sinais clínicos. O tratamento médico da hidrocefalia é direcionado para a redução da produção do líquido cefalorraquidiano. O uso de anti-inflamatório esteroidal, diuréticos e inibidor de bomba de prótons podem auxiliar na redução do mesmo. Para todas essas substâncias, recomenda-se que a dose seja reduzida para o menor valor necessário a fim de controlar os sinais clínicos da doença, para evitar efeitos colaterais graves. O uso de anticonvulsivantes só deve ser empregado caso o animal apresente quadros convulsivos. 

O objetivo do tratamento cirúrgico é desviar continuamente o líquido cefalorraquidiano excessivo dos ventrículos cerebrais para a cavidade peritoneal. O prognóstico da enfermidade é considerado desfavorável com muitos casos culminando em óbito. Em levantamento de causas de óbito e eutanásia em cães, a hidrocefalia foi a causa mais comum dentre as doenças do desenvolvimento.

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

AMUDE, A.M.; ZANATA, R.; LEMOS, R.S.; PELEGRINI, L.; ALBA, K.Q.; VICCINI, F.; ALFIERI, A.A. Therapeutic usage of omeprazole and corticoid in a dog with hydrocephalus unresponsive to conventional therapy.Semina: Ciências Agrárias,v. 34, n. 2, p. 805-810, 2013.

FOSSUM, T; W.. Cirurgia de pequenos animais. 4° edição, p.1448-1452, 2014.

OROZCO, S.C.; ARANZAZU, D. Hidrocefalia canina: Reporte de casos. Revista Colombiana de Ciencias Pecuarias, v. 14, n. 2, p. 173-180, 2001. 

QUESSADA, A.M. Hidrocefalia em cão. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.10, n.19; p. 2014.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso