Tudo sobre: Hiperaldosteronismo primário ou Doença de Conn

Introdução

O hiperaldosteronismo primário, também conhecido como Doença de Conn, é uma alteração endócrina resultante do excesso de secreção autônoma na circulação sanguínea de mineralocorticóides, principalmente a aldosterona, que é produzida pela glândula adrenal. As causas mais comuns desse tipo de disfunção endócrina em gatos são os tumores de córtex adrenal, como os adenomas e adenocarcinomas, bem como as hiperplasias nodulares. Esses tumores podem acometer apenas uma glândula adrenal, mas podem ocorrer também de forma bilateral. 

É a enfermidade adrenocortical mais frequente em felinos, acometendo gatos de cinco a 20 anos, sendo a idade média 13 anos. Pode ocorrer em animais de qualquer raça ou gênero, não havendo evidências de predisposição. 

Não é um distúrbio comum em cães, mas há relatos. Nesses animais, a doença pode ocorrer, mas com o nível de aldosterona dentro do limite de normalidade. 

A aldosterona é responsável pela reabsorção de sódio pelos túbulos renais, sendo assim, um excesso (anormal) na circulação, secundário ao desequilíbrio de sódio e potássio, resulta em sintomatologia inicialmente caracterizada por hipertensão, retinopatia hipertensiva e sintomas neurológicos secundários a hemorragias cerebrais devido à hipertensão. Além disso, o hiperaldosteronismo pode ser caracterizado também por desordens eletrolíticas e alcalose metabólica. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Fraqueza

- Letargia

- Debilidade

- Ventroflexão do pescoço

- Mialgina secundária

- Miopatias hipocalêmicas 

- Midríase

- Descolamento de retina

- Hemorragias oculares

- Sinais neurológicos

Diagnóstico

Associação da anamnese detalhada aos exame físico e complementares pelo(a) médico(a) veterinário(a). Exames que podem ser solicitados/ realizados:

- Determinação da pressão arterial

- Hemograma completo

- Ultrassonografia abdominal

- Tomografia computadorizada

- Ressonância magnética 

- Mensuração de aldosterona plasmática

- Dosagem da atividade da renina plasmática

- Exame histopatológico da adrenal após a remoção cirúrgica (ex. casos de neoplasias)

Observação: A realização e a definição da necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. O primeiro tem por objetivo fazer a reposição dos níveis de potássio, bem como controlar a hipertensão. Para tal, é administrado gluconato de potássio oralmente na dose recomendada, sendo necessária a utilização da via endovenosa em casos de hipocalemia grave. Caso não seja suficiente para normalizar as taxas de potássio, outras medicações podem ser utilizadas. Essa opção terapêutica é utilizada também antes da cirurgia, caso a mesma seja escolhida. 

Nos animais tratados de maneira clínica, a sobrevida varia de meses a anos.

O tratamento cirúrgico consiste na remoção da adrenal acometida (adrenalectomia unilateral), o que leva a remissão completa da hipocalemia e hipertensão. Uma complicação frequente da cirurgia é a hemorragia intra-operatória, sendo muitas vezes necessária a realização de transfusão sanguínea. Em casos de hiperplasia adrenal bilateral (benigna), invasão vascular por tumores adrenais, metástases ou quando existem doenças concomitantes, a cirurgia é contra-indicada. 

Animais não tratados apresentam sobrevida média de 1,5 a quatro meses. Sendo assim, o prognóstico é desfavorável para animais não tratados. Em pacientes tratados clinicamente, o prognóstico é reservado e, em pacientes tratados cirurgicamente, o prognóstico é bom. 

Prevenção

Não há medida preventiva para o hiperaldosteronismo primário.

Referências Bibliográficas

AMBROSIO, A, F, B; HIPERALDOSTERONISMO PRIMÁRIO FELINO: ESTUDO RETROSPECTIVO; DISSERTAÇÃO DE MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA VETERINÁRIA; LISBOA - 2014. 

CANUTO, F, J, C; SOUZA NETO, J, L,D; COSTA, P, P ,C; Hiperaldosteronismo em Felinos; Rev. Ciên. Vet. Saúde Públ, v. 3, n. 1, p. 030-036, 2016.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso