Tudo sobre: Hipoadrenocorticismo

Introdução

O hipoadrenocorticismo, também denominado síndrome de Addison, é uma doença endócrina não contagiosa caracterizada pela deficiência na produção de mineralocorticóides e/ ou glicocorticóides, ambos produzidos pelas glândulas adrenais, que localizam-se próximas aos rins. Essa endocrinopatia é incomum em cães, rara em gatos e tem duas apresentações, podendo ser primária ou secundária. As raças mais acometidas em cães são Poodle Standard, Rottweiler e West Highland White Terrier. O hipoadrenocorticismo acomete mais comumente cadelas jovens até meia idade, com intervalo de dois meses a 12 anos, podendo ocorrer em cães machos e de idades variáveis.

Em gatos, não parece existir predisposição racial ou sexual, porém, a doença ocorre mais comumente em gatos jovens e de meia-idade (média de seis anos). Além disso, existe uma forma parcial da doença, na qual o animal apresenta sinais clínicos apenas em momentos de estresse (ex: viagens).

A forma primária é comumente idiopática, ocorrendo atrofia de todas as camadas do córtex da adrenal. Porém, neoplasias (ex: linfoma), doença granulomatosa, infarto hemorrágico, trombos arteriais ou medicamento (ex: mitotano e trilostano) podem ser responsáveis pelo desenvolvimento da doença. Na síndrome de Addison primária, os sinais clínicos são secundários à deficiência de aldosterona e cortisol. 

O hipoadrenocorticismo secundário ocorre em casos de disfunção hipofisária que resulta em deficiência de ACTH, hormônio adrenocorticotrófico. Essa disfunção pode ser resultante de lesões destrutivas na hipófise/ hipotálamo, bem como de administração prolongada de glicocorticóides ou perda idiopática da função hipofisária. O resultado é, na maioria das vezes, deficiência de glicocorticóides, sem alterações na produção de mineralocorticóides. 

Quando o hipoadrenocorticismo é diagnosticado em cães e gatos, geralmente já não há nenhuma função das glândulas adrenais. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Assintomático (enquanto não há perda total da função das adrenais, ou em casos parciais em que o animal não passa por momento de estresse). 

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

Cães:

-Anorexia

-Letargia

-Perda de apetite

-Alterações gastrointestinais (êmese, diarreia e dor abdominal)

-Perda de peso

-Tremores

-Poliúria

-Polidipsia

-Síncope

-Hipotermia

Gatos:

-Letargia

-Anorexia

-Perda de peso

-Êmese (menos comum)

-Poliúria/ polidipsia (menos comum)

*Em gatos, os sinais clínicos podem ser intermitentes

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, exames laboratoriais e histórico. 

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Hemograma completo

-Ureia

-Creatinina

-ALT-TGP

-AST-TGO

-Fosfatase Alcalina (F.A.)

-Urinálise simples

-Dosagem de potássio, sódio e cálcio

-Relação Sódio e potássio (Na:K)

-Radiografia torácica

-Ultrassonografia abdominal

-Teste de estimulação do ACTH

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento depende se o animal apresenta-se estável ou em crise addisoniana aguda. Em casos de crise, pacientes desidratados devem ter a volemia restabelecida a partir da administração de fluidoterapia intravenosa, podendo estar associada ou não à dextrose e/ ou bicarbonato, dependendo dos resultados de exames laboratoriais. Também deve ser realizada a utilização de glicocorticóides imediata, mediante a confirmação pelo exame de estimulação de ACTH. 

A terapia de manutenção é realizada com mineralocorticoides e glicocorticoides, que podem levar a efeitos adversos de poliúria e polidipsia. 

Animais diagnosticados com síndrome de Addison devem ser monitorados com regularidade por um profissional da medicina veterinária para a manutenção da qualidade de vida. 

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

NELSON, Richard. W; Couto, C. Guilhermo; MEDICINA INTERNA DE PEQUENOS ANIMAIS. Editora Elsevier. Tradução da 5ª edição - Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. 

LANEN, Kathleen Van; SANDE, Alisson; Canine Hypoadrenocorticism: Pathogenesis, Diagnosis, and Treatment. Topics in Companion Animal Medicine. Pulblished by Elsevier Inc, 2014. 

EMANUELLI, Mauren Picada; LOPES, Sonia Terezinha dos Anjos; SCHMIDT, Claudete; MACIEL, Roberto Marinho; GODOY, Carmen Lice Buchmann; Hipoadrenocorticismo primário em um cão; Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.5, p.1484-1487, set-out,2007.

DUESBERG, Cynthia; PETERSON, Mark E; Adrenal disorders in cats; Veterinary Clinics Of North America: Small Animal Practice. Volume 27. Number 2. March 1997.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora