Tudo sobre: Hipoandrogenismo

Introdução

Os androgênios são hormônios esteróides produzidos a partir do colesterol, nas glândulas adrenais e nos ovários e testículos. Sua função é estimular e controlar o desenvolvimento e a manutenção dos órgãos sexuais e da capacidade reprodutiva, além de ter influência direta sobre as características sexuais secundárias. O andrógeno mais conhecido é a testosterona, além de alguns destes hormônios serem precursores dos estrogênios.

A redução nos níveis circulantes de androgênios pode ser de origem fisiológica, pelo processo de envelhecimento, ou ocorrer como consequência da castração. Ambos os processos não trazem prejuízos ao animal. Porém, uma vez que a diminuição da produção destes hormônios seja decorrente de tumores nos órgãos sexuais ou nas glândulas adrenais, entre outros fatores patológicos, os animais podem apresentar diversas complicações sistêmicas e reprodutivas como disfunções ósseas, sensibilidade à insulina, composição corporal afetada, infertilidade, falha no desenvolvimento de características sexuais, alopecia, entre outras.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Alopecia bilateral

-Criptorquidismo

-Falha no desenvolvimento das características sexuais secundárias

-Disfunção sexual

-Infertilidade

-Obesidade

-Letargia

Diagnóstico

-Ecografia abdominal

-Testosterona

-Estradiol

-Colesterol total

-Radiografia

-Ressonância magnética

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a)

Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento para o hipoandrogenismo depende da condição geral do animal, sua idade e origem primária da redução na circulação hormonal. Após os exames laboratoriais, anamnese e observação da manifestação clínica, o médico veterinário poderá instituir o melhor protocolo de tratamento, se for o caso. 

Em casos em que a origem primária do hipoandrogenismo for tumoral, é recomendada a extração cirúrgica do tumor caso seja possível. Se o tumor for inoperável ou mesmo se o paciente for um animal senil, é recomendado apenas o tratamento suporte, para alívio dos sinais clínicos.

Em alguns casos, principalmente em animais jovens e adultos aptos à reprodução, pode ser feita uma reposição hormonal que será avaliada e realizada por um médico veterinário capacitado. Vale ressaltar que em animais senis e castrados, a redução dos hormônios andrógenos é fisiológica e ocorre de forma branda, não comprometendo a saúde geral dos animais.

Prevenção

Não existem medidas profiláticas para o hipoandrogenismo patológico.

Referências Bibliográficas

ALBERTO T., R.; KRASINSKI C., F. ASPECTOS MORFOLÓGICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DE ALTERAÇÕES TESTICULARES EM CÃES. Archives of Veterinary Science, v. 18, n. 3, 2013.

BEHREND, E. N.; KENNIS, R. Atypical Cushing's syndrome in dogs: arguments for and against. Veterinary Clinics: Small Animal Practice, v. 40, n. 2, p. 285-296, 2010.

DOMINGOS, T. C. S.; SALOMÃO, M. C. Meios de diagnóstico das principais afecções testiculares em cães: revisão de literatura. Revista Brasileira de Reprodução Animal, v. 35, n. 4, p. 393-399, 2011.

ROMÃO, F. G.; ANTUNES, M. I. P. P. Hypoadrenocorticism in dogs: review/Hipoadrenocorticismo em caes: revisao/Hipoadrenocorticismo en perros: revision. Veterinária e Zootecnia, v. 19, n. 1, p. 44-55, 2012.

SILVA, R. F. G. da et al. Estudo de vinte casos de hiperadrenocorticismo no cão. 2013. Dissertação de Mestrado.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora