Tudo sobre: Hipoplasia e hipocalcificação do esmalte dentário

Introdução

O esmalte recobre a porção mais externa dos dentes, envolvendo a coroa, e é composto por diversos minerais que garantem a coloração e rigidez do dente. Sua formação ocorre em três etapas: a formação da matriz, a calcificação e a maturação.

A hipoplasia do esmalte é uma afecção caracterizada pela formação incompleta ou defeituosa desta matriz orgânica, podendo acometer dentes permanentes ou decíduos (“dentes de leite”), apresentando diversos graus de severidade e é considerada irreversível. Já a hipocalcificação apresenta produção de esmalte normal, mas há falha na sua calcificação. 

Casos de hipoplasia do esmalte podem ocorrer tanto por doenças infecciosas, tais como a cinomose, quanto por hipertermia, antibioticoterapia com tetraciclinas, estado nutricional comprometido (hipovitaminose A, C e D que são essenciais para a formação do esmalte) e traumas.

Predispõe a formação de doença periodontal precoce devido à irregularidade da superfície ocasionada facilitar a geração e acúmulo de placas bacterianas.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Fragilidade do dente

- Fraturas coronária

- Esmalte irregular com coloração escurecida

- Sensibilidade dentária

Diagnóstico

Associação dentre anamnese com histórico detalhado e exame físico.

Ocasionalmente pode ser confundida com cárie ou cálculo dentário. A diferenciação caracteriza-se basicamente pela idade do animal (acomete principalmente animais jovens) e pela baixa incidência de cárie em animais domésticos.

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento somente é aplicável para as afecções concomitantes, tais como doenças infecciosas, doença periodontal, desnutrição/ hipovitaminose, traumas com fratura coronária e/ ou hipertermia. Contudo, a hipoplasia em sí é irreversível.

Prevenção

A prevenção, quando possível, é a chave para esta doença porque quando ocorre comprometimento dentário é irreversível. A vacinação com protocolos corretos e adequado reforço anual é uma forma de prevenir o desenvolvimento da cinomose, por exemplo, e consequentemente da hipoplasia do esmalte. 

Traumas podem ser evitados com manejo ambiental e social adequados e evitando que os animais tenham acesso livre à rua. 

Além disso, é essencial o fornecimento de uma alimentação equilibrada, balanceada e de boa qualidade para que não haja excessos ou faltas para o animal. Recomenda-se também acompanhamento periódico com um(a) médico(a) veterinário(a) a fim de manter o animal saudável e permitir diagnóstico precoce caso haja alguma enfermidade.

Referências Bibliográficas

CONGRESSO INTERNACIONAL DE ENFERMAGEM VETERINÁRIA, 2013, Elvas. 3º Congresso internacional de enfermagem veterinária. Canine and feline oral pathology. [S. l.: s. n.], 25 out. 2013.

FONSECA, Maria Luiza Bernardo; SANTANA, Driele Schneidereit; TAVARES, Jéssica Marielle Araújo. Hipoplasia de esmalte: Avaliação clínica patológica da cavidade oral dos cães. Psicologia e Saúde em Debate - II Fórum de Iniciação Científica, [S. l.], v. 5, p. 98, 18 dez. 2019.

RODRIGUES, Caio Cezar Basilio; ZAPPA, Vanessa. Cinomose e o processo de desmielinização. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, [s. l.], ano VII, n. 12, 15 jan. 2009.

VON HA, Juliana Dalarossa Amatuzzi. Prevalência de afecções orais e fatores de risco para a doença periodontal em cães. Presidente Prudente: [s. n.], 2013. 80 p.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso