Tudo sobre: Hipospadia e Epispadia

Introdução

A hipospadia é uma alteração rara do desenvolvimento genital dos machos na qual a uretra se abre ventral (mais para baixo) e caudalmente (mais para trás) em relação ao orifício normal. Ela pode ser classificada de acordo com a localização da abertura da uretra. Entre as raças mais acometidas estão os Boston Terriers, Pinscher, Cocker Spaniel, Collie, Doberman e Dogue Alemão. Na maioria das vezes, os animais acometidos apresentam outras anomalias congênitas ou de desenvolvimento. Uma falha na fusão normal das dobras genitais durante o desenvolvimento fetal resulta no desenvolvimento anormal da uretra peniana, do pênis, prepúcio e/ ou escroto. A uretra se abre em qualquer lugar ao longo de seu comprimento em uma ou mais localizações. As hipospadias são classificadas com base na localização da abertura da uretra em glandular, peniana, escrotal, perineal ou anal. O prepúcio também é acometido e costuma ser incompleto e o pênis pode ser atrofiado. Não é raro que cães com o problema fiquem com urina acumulada na região genital, apresentando quadros recorrentes de inflamação, incômodo no local e infecções.

O problema e suas consequências costumam variar de acordo com o tipo de anomalia apresentada. Pequenos defeitos na região podem ser imperceptíveis em alguns casos, mas grandes aberturas uretrais costumam causar quadros de dermatite pelo constante contato do prepúcio com a urina, podendo ainda o pet apresentar incontinência urinária. Ao exame físico, pode se identificar irritação da pele ou inflamação do prepúcio. A abertura prepucial pode estar incompletamente formada e o escroto dividido. O pênis deve ser completamente exposto e examinado, onde o médico veterinário consegue observar quando há diferenças anatômicas. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Dermatite

-Incontinência urinária

-Anormalidade na genitália

-Infecção urinária

-Testículos separados

-Exposição crônica do pênis

-Persistência do frênulo

Diagnóstico

-Exame físico 

-Cultura da urina

-Radiografia contrastada das vias urinárias

-Ultrassonografia abdominal

-Exames laboratoriais são inespecíficos 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário. 

Tratamento

O tratamento para a hipospádia é cirúrgico, sendo que quando a abertura uretral está perto do pênis, não é necessário realizar uma reconstrução. O procedimento e a técnica cirúrgica variam de acordo com cada caso, sendo indicado a castração dos pacientes acometidos.

Prevenção

Os animais que apresentam essa alteração devem ser retirados da reprodução e castrados.

Referências Bibliográficas


FOSSUM, T. W. Cirurgia de pequenos animais. 4° edição, p.843-846, 2014.

SÁ, M.A.R. Hipospadia perineal canina. Acta Scientiae Veterinariae, 44: 177, 2016.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso