Tudo sobre: Intoxicação por Picada de Abelha

Introdução

Acidente ou intoxicação por picada de abelhas é o quadro de envenenamento decorrente da inoculação de toxinas por meio do ferrão (aparelho inoculador). Esse acidente costuma ocorrer com certa frequência em cães, porém, poucos são os relatos na literatura. Podem estar envolvidas as abelhas africanas, europeias e africanizadas, sendo as primeiras mais agressivas, consequentemente causando casos clínicos mais graves.

Acidentes por picada de abelhas podem resultar em uma inflamação local ou reação alérgica generalizada (choque anafilático) devido a uma ou poucas picadas ou em toxicose (reação tóxica sistêmica) por múltiplas picadas, que, às vezes, pode ser fatal. Assim, as manifestações clínicas e o prognóstico irão variar com o número de ferroadas, a quantidade de veneno inoculada e a sensibilidade do animal.

Em cães, a maioria dos acidentes ocorre devido seu comportamento curioso, que os levam a mexer em ninhos, fuçar em flores ou resíduos de alimentos doces. Em felinos, a exposição se dá quando estes tentam brincar com os insetos, sendo picados muitas vezes na face ou na cavidade oral. As abelhas têm atração por cores escuras, por isso, a incidência de acidentes em animais de pelagem escura tende a ser maior.

A principal complicação desses acidentes é a hemólise intravascular (ruptura das hemácias no interior dos vasos sanguíneos) e a lesão renal resultante da hemoglobinúria (liberação de hemoglobina na urina), mioglobinúria (liberação de mioglobina na urina) e ação direta de alguns constituintes do veneno das abelhas, podendo esta resultar em insuficiência renal aguda.

Nos casos leves, os sinais são autolimitantes e resolvem-se em cerca de 24 horas. Os sinais do choque anafilático ocorrem rapidamente, geralmente cerca de 10 minutos após a picada.

Não há antídoto para o veneno de abelhas, por isso o tratamento é sintomático e de suporte. O tratamento deve ser emergencial, com o objetivo de manter adequados os sinais vitais do animal. Animais com múltiplas ferroadas devem ser hospitalizados e monitorados por 24 a 48 horas.

Transmissão

-Picada de abelha

Manifestações clínicas

-Eritema

-Edema

-Dor

-Prurido

-Êmese

-Diarreia

-Dispneia

-Tosse

-Broncoconstrição

-Hipóxia

-Febre

-Paralisia facial

-Ataxia

-Sinais neurológicos

-Hematoquesia

-Hematêmese

-Hemoglobinúria

-Icterícia

-Choque

Diagnóstico

Associação da anamnese, histórico e exame clínico.

-Presença de ferrões (na pele, boca, língua e até mesmo no esôfago, estômago e intestino delgado)

-Hemograma

-Bioquímicos (Ureia, creatinina Bilirrubina total e frações, FA e ALT)

-Urinálise

-Achados de necropsia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento é de suporte e deve ser emergencial, buscando manter adequados os sinais vitais. Para isso, podem ser utilizados fármacos adrenérgicos, corticóides, e instituição de fluidoterapia. Também podem ser utilizadas compressas frias e anti-histamínicos para cessar a inflamação e aliviar o desconforto e oxigenoterapia. Pode ser instituída antibioticoterapia, de acordo com o critério médico veterinário.

O ferrão nunca deve ser retirado com pinça, o ideal é levar o animal a um(a) Médico(a) Veterinário(a) para a remoção adequada, evitando a liberação de mais veneno.

Prevenção

Para prevenir o ataque por abelhas, deve ser evitado que os animais se aproximem de colmeias, principalmente cães, que são curiosos. Ao perceber a presença de uma colmeia, o fato deve ser notificado a profissionais treinados para removê-la. 

Além disso, devem ser evitados o uso de shampoos, sabões, talcos e perfumes com essências, pois sabe-se que odores fortes atraem as abelhas.

Referências Bibliográficas

ACIDENTES por animais peçonhentos - Abelhas. Ministério da Saúde, 2 mai. 2017. Saúde de AaZ. Disponível em:<http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/acidentes-por-animais-peconhentos-abelhas>. Acesso em: 11 dez. 2019.

FIGHERAL, R. A.; SOUZA, T. M. de. BARROS, S. L. de. Acidente provocado por picada de abelhas como causa de morte de cães. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.2, p.590-593, mar-abr, 2007.

MACHADO, C., SILVA, T. Z., FERNANDES, C. P. M.;OLIVEIRA NOBRE, M. Anafilaxia em cão por picada de abelhas. Acta Scientiae Veterinariae, v. 40, p. 35, 2012.

SOUZA, J. M. S. Toxicose por picada de abelhas em cão. Pubvet, v.12, n.3, p.1-3, Mar., 2018. 

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso