Tudo sobre: Luxação Coxofemoral em Felinos

Introdução

A luxação coxofemoral ocorre quando há um deslocamento do fêmur em relação ao acetábulo. Normalmente acontece em circunstâncias traumáticas, como atropelamentos e quedas de grandes alturas. Como a cabeça do fêmur se desloca, muitas vezes é possível perceber um aumento de volume na região, mas o deslocamento pode ocorrer em diversos sentidos. 

O gato com luxação coxofemoral poderá ficar com uma pata mais longa ou mais curta que a outra, dependendo do deslocamento, mas não será capaz de apoiar o membro acometido. Animais de todas as idades podem apresentar luxação, mas os idosos, devido ao desgaste articular progressivo com a idade, estão mais susceptíveis ao deslocamento do fêmur após um trauma. 

O fato do paciente estar com um osso fora do lugar causa dor e o deixa mais apático, ou ele pode apresentar agressividade anormal. Quanto antes for diagnosticada a luxação, melhores são as chances de uma recuperação total.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Aumento de volume na região lateral da bacia
- Claudicação sem apoio do membro
- Dor na manipulação da região da bacia
- Prostração

Diagnóstico

- Exame ortopédico criterioso
- Radiografia pélvica

Observação: A realização e a definição da necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento vai variar de acordo com o tempo entre a luxação e o diagnóstico. Em casos em que o atendimento é realizado em até 48 horas após o trauma e quando não existem outras lesões concomitantes, é possível fazer uma redução fechada, ou seja, um ortopedista qualificado irá fazer manobras para recolocar o fêmur na sua posição anatômica, com o paciente anestesiado. Após esta reposição, é necessária utilização de bandagem específica por cinco a sete dias.

Se a luxação for crônica, ou seja, proveniente de um trauma antigo, provavelmente será necessária resolução cirúrgica. Para os felinos, existem duas opções disponíveis: uma delas visa reconstruir o ligamento da cabeça femoral com fios sintéticos, reposicionando a articulação, seja pela técnica de pino em cavilha ou sutura ilío-femoral.

A segunda opção de tratamento cirúrgico é a remoção da cabeça e do colo femoral, cirurgia denominada ostectomia de cabeça e colo femoral ou colocefalectomia. Nesta técnica, como a parte femoral da articulação é removida, cria-se uma fibrose e uma pseudoarticulação. Embora seja uma técnica mais invasiva e com uma recuperação mais prolongada, funciona muito bem em felinos, principalmente os mais leves, fazendo com que o retorno ao uso do membro seja de bom a ótimo.

Prevenção

A melhor maneira de evitar que seu animal sofra um trauma capaz de causar a luxação coxofemoral, é impedir que ele tenha acesso livre à rua ou locais de grande altura sem proteção, o que pode ser evitado pela colocação de redes de proteção em janelas e varandas, por exemplo. Desta maneira, é possível evitar atropelamentos e quedas de alturas consideráveis, que são as principais causas da luxação coxofemoral em felinos.

Referências Bibliográficas

Denny, H. R.; Butterworth, S. J. 2006. Cirurgia Ortopédica em Cães e Gatos. 4ed, São Paulo: Roca, 504p.

Fossum T.W. 2005. Management of Joint Diseases. In: Small Animal Surgery. St. Louis: Mosby, pp.943-957

Meiji B.P., Hazewinkel H.A.W. & Nap R.C. Results of extra-articular stabilization following open reduction of coxofemoral luxation in dogs and cats. Journal of Small Animal Practice. v.33, n.2, p.320-326, 1992.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso