Tudo sobre: Maceração e Mumificação Fetal

Introdução

A maceração e a mumificação fetal ocorrem em casos de morte embrionária após a ossificação fetal, podendo o feto ser abortado ou permanecer no útero da fêmea. Esses eventos podem acontecer por causas multifatoriais, como por exemplo o descolamento da placenta ou superlotação fetal, ou até mesmo causas infecciosas. Nas cadelas, a mumificação fetal está relacionada com o Herpesvírus e em gatas pode estar relacionada com a Panleucopenia felina.

Uma forma mais simples de compreender é que a maceração fetal ocorre com a presença de bactérias que invadem o útero causando putrefação e autólise dos tecidos fetais. Já na mumificação ocorre a desidratação dos tecidos fetais e seus anexos. 

Outra causa frequente da maceração fetal é o uso indiscriminado de injeções anticoncepcionais que, além de causar vários efeitos colaterais durante toda a vida da fêmea, pode levar à morte dos fetos e da mãe.

O quadro é considerado emergencial e requer rápida intervenção cirúrgica, pois pode evoluir para ruptura uterina, infecção generalizada ou também chamada de septicemia e morte. 

As cadelas e as gatas podem apresentar fetos mumificados e viáveis na mesma gestação e são expelidos no momento do parto os fetos mumificados junto com os viáveis.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Dor abdominal

-Apatia

-Inapetência

-Descarga vaginal

-Perda de peso

-Febre

-Diminuição da secreção láctea

Diagnóstico

-Ultrassonografia abdominal

-Radiografia abdominal

-Palpação transretal

-Hemograma demonstrando leucocitose em caso de maceração fetal

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário. 

Tratamento

O tratamento consiste em tratar o sinais de septicemia caso esteja instalada com fluidoterapia, complexos vitamínicos, analgésicos e associação de antibióticos. A fêmea deve, ainda, ser submetida o mais rápido possível à castração para a retirada do útero contendo os fetos mortos.

Prevenção

O único método de prevenção é a castração das fêmeas que não serão utilizadas para interesse reprodutivo, além de não utilizar injeções anticoncepcionais.

Referências Bibliográficas

BRAGA, P.O. e BARROSO, R.M. Aspectos fisiopatológicos da mumificação fetal. PUBVET, Londrina, V. 8, N. 15, Ed. 264, Art. 1752, Agosto, 2014.

MORAIS, L. E. S. Maceração Fetal em Gata. Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife, 2019.

MUZZI, L. A. L. Obstetrícia em Pequenos Animais. Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso