Tudo sobre: Meduloblastoma

Introdução

Meduloblastoma caracteriza-se por uma neoplasia intracraniana, conhecida também como tumor neuroectodérmico primitivo (primitive neuroectodermal tumors, PNETs). Este tumor origina-se das células germinativas neuronais, localiza-se na região cerebelar e apresenta natureza maligna, podendo levar à compressão do tronco encefálico e do mesencéfalo. Tal neoplasia é rara, apresentando-se de forma individual e isolada na maioria dos casos observados, embora já sejam descritas apresentações múltiplas na literatura. 

Representando apenas cerca de 3% das neoplasias intracranianas primárias, acometendo em sua maioria animais de meia idade a idosos e é diagnosticado em cães mais jovens de forma ocasional, nos quais é um dos tumores encefálicos mais prováveis de ocorrer. Além disso, cães acima do escore corporal desejável são mais predispostos a apresentar tumores intracranianos.

Não se tem, até o momento, a elucidação completa dos fatores que desencadeiam a formação do meduloblastoma cervical, sendo a desordem de alguns hormônios como o estrógeno e a progesterona relatados em estudos recentes como potenciais influenciadores da manifestação desta neoplasia.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

- Head Pressing

- Head Tilt 

- Ataxia

- Hipometria

- Convulsão

- Nistagmo

- Inclinação de cabeça

- Mioclonia

- Paresia

- Opistótono

- Tetania

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, anamnese, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

-Tomografia computadorizada

-Ressonância magnética

-Radiografia

-Ultrassonografia

-Punção de líquido cerebroespinhal

-Biópsia

-Histopatológico

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

A escolha do tratamento é baseada nos resultados dos exames histopatológico, identificação da localização e extensão do tumor, presença de metástases, sinais clínicos, custo, morbidade e mortalidade relacionadas à terapia. 

O tratamento emergencial é realizado em animais seriamente comprometidos, mediante administração de fármacos glicocorticóides que contribuem com a diminuição do edema no sistema nervoso e sinais clínicos. A quimioterapia é limitada, devido à dificuldade dos fármacos em atravessar a barreira hematoencefálica. A radioterapia traz grandes benefícios e a escolha da dose e da técnica de administração baseia-se em tipo e local do tumor e tolerância dos tecidos vizinhos não acometidos. 

A cirurgia para neoplasias intracranianas como o meduloblastoma nem sempre é recomendada, uma vez que só permite excisão parcial do tumor e podem ocorrer complicações pós-operatórias, colocando em risco a vida do animal.

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

CHAVES R.O., FERANTI J.P.S., COPAT B., RIPPLINGER A., FRANÇA R.T., KOMMERS G.D., FIGHERA R.A. & MAZZANTI A. 2018. [Brain neoplasms in 40 dogs: clinical, epidemiological and pathological aspects]. Neoplasias encefálicas em 40 cães: aspectos clínico-epidemiológicos e patológicos. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(4)734-740. Departamento de Clínica de Pequenos Animais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil.

BABICSAK VR. et al. Aspectos tomográficos de tumores cerebrais primários em cães e gatos. Vet. e Zootec. 2011 dez.; 18(4): 531-541.

HORTA, R. S. et al. Neoplasias intracranianas em pequenos animais - Revisão de literatura. Acta Veterinaria Brasilica, v. 7, n. 4, p. 272-281, 2013 

O’BRIEN D.P.O. & COATES J.R. 2010. Brain disease, p.668-725. In: Ettinger S.J. & Feldman E.C. (Eds), Veterinary Internal Medicine. 7th ed. Elsevier Mosby, Philadelphia.

SILVA, P. D. G. Neoplasias intracranianas primárias em pequenos animais. 2012. 65 f. Monografia (Bacharelado em Medicina Veterinária) - Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso