Tudo sobre: Miopatias inflamatórias

Introdução

As miopatias inflamatórias são as doenças que apresentam em comum a inflamação dos músculos e consequente fraqueza muscular. Duas das principais miopatias inflamatórias generalizadas são a Polimiosite e a Dermatomiosite, consideradas de frequência rara tanto em humanos como em animais. Sem uma causa conhecida, essas doenças são classificadas como auto-imunes, ou seja, o sistema de defesa do corpo ataca o próprio organismo saudável.

Existe ainda um tipo de miopatia localizada em músculos específicos, chamada miosite dos músculos mastigatórios e extraoculares, bastante rara em gatos e mais comum nos cães, podendo ocorrer de duas formas. A miosite pode acometer os músculos mastigatórios, que são aqueles envolvidos no processo de mastigação, ou os músculos extraoculares, que são os músculos ligados ao globo ocular, com a função de controlar o movimento dos olhos. 

O principal sintoma relacionado às doenças é certamente a fraqueza muscular, no caso da polimiosite e dermatomiosite principalmente nos locais próximos ao tronco, como os músculos da região dos ombros e coxas, e na miosite dos músculos mastigatórios e extraoculares a fraqueza ocorre na região da face. A polimiosite pode ainda estar relacionada aos sintomas de perda de peso e dificuldades de locomoção, e na dermatomiosite o animal também apresenta lesões de pele como característica da doença.

São conhecidas predisposições raciais para as miosites da face, como os cães da raça Cavalier King Charles Spaniel, que podem apresentar miosite dos músculos mastigatórios ainda muito jovens, com até seis meses de idade, e cães da raça Golden Retriever que parecem apresentar condição genética que favorece o desenvolvimento da miosite dos músculos extraoculares.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Fraqueza muscular

- Exoftalmia

- Emagrecimento

- Dor

- Caquexia

- Descamação da pele

- Ulceração de pele

- Claudicação

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Ensaios imunológicos podem ser utilizados para detecção de autoanticorpos.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Hemograma completo

- Biópsia muscular

- Radiografia 

- Ultrassonografia

- Ressonância Magnética

- Urinálise simples

- Albumina

- Imunoglobulina A (IgA)

- Imunoglobulina G (IgG)

- Imunoglobulina M (IgM)

- Ureia

- AST – TGO

- ALT – TGP

- Fósforo

- Gama GT

- CPK (creatinofosfoquinase)

- Fosfatase Alcalina (F.A.)

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento baseia-se no no uso de corticosteróides e deve ser realizado com muita responsabilidade e seriedade pelo(a) tutor(a). Medicamentos desse tipo debilitam a imunidade natural do animal, deixando-o mais suscetível à infecções, além de causar efeitos colaterais, principalmente se não utilizados corretamente e segundo a orientação profissional. 

Apesar de um tratamento que requer atenção do(a) responsável, os sintomas em geral apresentam uma boa melhora com o uso de terapia adequada. No caso de miosite dos músculos mastigatórios, é necessário também fazer adequações na dieta do animal. Até que seja observada a melhora dos sintomas, deve ser utilizada alimentação pastosa ou líquida e nos casos mais graves a utilização de sonda é indicada para evitar o emagrecimento e a falta de nutrientes ao organismo.

Prevenção

Não existem medidas de controle estabelecidas. Considerando-se o sucesso do tratamento nos casos em que o diagnóstico é feito no tempo adequado, recomenda-se visitas periódicas ao médico veterinário, além de proporcionar uma boa qualidade de vida para os pets.

Referências Bibliográficas


ARAÚJO, Estéfane Kelly Dias et al. Miosite dos músculos mastigatórios em canino doméstico sem raça definida: Relato de caso. PUBVET, v. 11, p. 103-206, 2016.

KANG, ByungJae et al. Masticatory muscle myositis in a Maltese dog. Journal of Veterinary Clinics, v. 31, n. 3, p. 223-225, 2014.

FERREIRA, Tiago Cunha et al. Patogenia, biomarcadores e imunoterapia nas dermatopatias autoimunes em cães e gatos. Uma Revisão. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 9, n. 2, p. 299-319, 2015.

MENEZES, Lais Caetano et al. Tratamento imunossupressor para miosite dos músculos mastigatórios em fase aguda em canino: Relato de caso. PUBVET, v. 11, p. 840-946, 2017.

RONDON, E. S. et al. Masticatory muscle myositis in Rottweiler-case report. PUBVET, v. 5, n. 22, 2011.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso