Tudo sobre: Mucocele da Vesícula Biliar

Introdução

A vesícula biliar é um órgão responsável pelo armazenamento de bile, produzida pelo fígado, com a função de digerir as gorduras do intestino, e tem a forma de um saco e localiza-se abaixo do fígado.

A mucocele de vesícula biliar é uma enfermidade do sistema hepático/ biliar que envolve o acúmulo anormal de muco no lúmen da vesícula biliar devido ao espessamento da mucosa e hiperplasia (aumento) das células secretoras de muco. Sua origem não está muito bem estabelecida, porém algumas pesquisas indicam que as causas primárias envolvem a diminuição da motilidade, estase biliar, aumento da absorção de água e hipertrofia da mucosa. Isso porque a diminuição da motilidade e estase biliar promovem o aumento na absorção da água e a progressão dessa condição torna o conteúdo biliar mais sólido e imóvel. 

As manifestações clínicas podem variar de acordo com a gravidade do quadro e presença de obstrução dos ductos biliares. O animal pode apresentar-se sem sintomas (assintomático) ou, nos casos mais graves, pode haver rompimento da vesícula culminando na peritonite biliar. Caso não haja a intervenção imediata, o(a) paciente corre grande risco de morte.

É frequentemente relatada em cães e mais raramente em gatos. A idade mais acometida está na faixa de meia-idade a idosos, sem aparente predileção sexual. 

Em cães, as raças como Pastores de Shetland, Cockers Spaniels e Schnauzer miniatura são descritas com maior predisposição. A doença pode ser também secundária a alterações endócrinas como a hiperadrenocorticismo e hipotireoidismo, devido ao aumento da dislipidemia (aumento de colesterol e triglicerídeos no sangue).

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

  • Êmese
  • Diarreia
  • Anorexia
  • Desidratação
  • Apatia 
  • Fraqueza
  • Distensão Abdominal
  • Poliúria
  • Polidipsia
  • Polifagia
  • Dor
  • Icterícia
  • Letargia
  • Óbito

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

  • Hemograma completo
  • ALT - TGP
  • AST - TGO
  • Fosfatase alcalina F.A
  • Gama GT
  • Bilirrubinas (Direta, Indireta e Total)
  • Ultrassonografia abdominal

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento de eleição para a correção da mucocele é a retirada da vesícula por meio de procedimento cirúrgico chamado de colecistectomia. Quando a cirurgia é realizada em momento oportuno, ou seja, antes da ruptura do órgão, as chances de melhora e recuperação do paciente são maiores. Quando há ruptura de vesícula e posterior peritonite séptica, o prognóstico é desfavorável.

Prevenção

Não há uma prevenção específica que impeça o desenvolvimento da mucocele biliar, uma vez que sua origem normalmente não está bem esclarecida. No entanto, é responsabilidade do(a) tutor(a) estar consciente dos cuidados básicos para o bem-estar e saúde de seus animais, a princípio com o fornecimento de uma alimentação equilibrada, balanceada e de boa qualidade para que não haja excessos ou faltas para o animal. Além disso, é importante incentivar o animal a tomar água frequentemente, colocando bebedouros com água limpa e fresca nos ambientes em que ele mais fica. 

Em segundo lugar, manter sempre as consultas, vacinações e vermifugações em dia. O acompanhamento periódico com o(a) médico(a) veterinário(a) garante que seu animal esteja amparado e facilita o diagnóstico precoce caso haja alguma enfermidade.

Jamais medique o animal por conta própria, principalmente com medicamentos de uso humano, pois muitos são potencialmente tóxicos tanto para cães quanto para gatos. Evitar expor os animais a situações extremas (muito frio ou muito calor) ou a produtos químicos (limpeza, automotivos, venenos) é essencial.

Ao observar qualquer mudança de comportamento ou aparecimento de sinais clínicos, o(a) tutor(a) deve procurar atendimento médico o mais rápido possível.

Referências Bibliográficas

DANIEL, A. G. T. et al. Mucocele da vesícula biliar associada à cirrose hepática em um felino doméstico: relato de caso. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 9, n. 2, p. 42-42, 11.

FRANCO, T. S. et al. Colecistectomia em cadela diagnosticada com hiperplasia cística vesical secundário à mucocele biliar: relato de caso. Anais do Congresso da Escola de Ciências Médicas e da Saúde, Medicina Veterinária, Painel, 2016.

IOP, J. F. M. et al. Aspectos ultrassonográficos de mucocele biliar em cão - relato de caso. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão. Capa > V. 8,N. 1 (2016) SALÃO DE ENSINO

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso