Tudo sobre: Mucocele Salivar

Introdução

 A saliva tem um papel importante no processo digestivo dos alimentos, além de umidificar e lubrificar a cavidade oral. É produzida por diversas glândulas, sendo as maiores as glândulas parótidas, sublinguais, zigomáticas e submandibulares, e transportada até a boca por meio de ductos específicos e individuais de cada uma.

Alterações nas glândulas salivares não são comuns na clínica médica de pequenos animais, mas dentre elas, a mucocele, também chamada de sialocele, higroma salivar, cisto salivar e cisto melífero, é a mais comumente identificada de forma clínica em cães. Trata-se de um acúmulo de saliva em tecidos próximos aos ductos da glândula saliva, devido a lesões na glândula e/ ou nos ductos, levando ao extravasamento do conteúdo produzido e à inflamação da região afetada. As glândulas mais afetadas são as glândulas salivares mandibulares e sublinguais. O acometimento de mais de um tipo de mucocele (mucocele cervical, mucocele sublingual, mucocele faríngea, mucocele zigomática) em um mesmo animal é denominado mucocele complexa. Quando a mucocele ocorre na região sublingual é chamada de rânula.

As causas dessa enfermidade ainda são desconhecidas (idiopáticas), mas, atualmente, traumas causados por corpos estranhos ou sialólitos (estruturas calcificadas que se desenvolvem nas glândulas ou em seus ductos) são reconhecidos como o principal fator para sua ocorrência. 

Atinge qualquer faixa etária e gênero, sendo cães machos de dois a quatro anos e Poodle Toy e Miniatura e Pastor Alemão os mais predispostos. É uma afecção rara em gatos. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Os sinais clínicos podem apresentar-se isolados ou em conjunto e ocorrem de acordo com o local afetado:

- Aumento de volume abaixo da língua, mandíbula, faringe e/ou em região cervical.

- Sangramento

- Dispneia

- Disfagia

- Dor

- Estrabismo divergente

- Enoftalmia

- Engasgos

Diagnóstico

É muito importante a associação dos achados:

- Histórico

- Sinais Clínicos

- Punção aspirativa por agulha fina (PAAF)

- Citologia 

- Histopalologia 

- Radiografia cervical

- Radiografias contrastadas (alta complexidade de realização)

Observação: a escolha de quais exames solicitar, fica a critério do(a) Médico(a) Veterinário(a), que vai avaliar e adequar sua conduta conforme a situação clínica do paciente. 

Tratamento

O tratamento é a remoção cirúrgica da glândula e ducto afetados, em casos em que o paciente apresenta dificuldade respiratória é indicado a drenagem do conteúdo para dar um alivio e ganhar tempo até a preparação pra entrar em cirurgia.

Prevenção

É complicada a implementação de medidas de prevenção para essa alteração, ainda faltam estudos para esclarecer outras causas que podem levar a essa condição. Atualmente, é conhecido que a alteração é secundária a traumas, portanto, é importante tomar cuidado com as regiões citadas e sempre recorrer ao médico(a) veterinário(a) quando o pet apresentar alguma sintomatologia supracitada.

Referências Bibliográficas

DIAS, F.G.G. et al. Mucocele em cães. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.9, N.16; p. 2013.

GIOSO, M. A.; Odontologia Veterinária para o Clínico de Pequenos Animais. 2ª ed. São Paulo: Manole, p.109-112, 2007.

FOSSUM, W. T; DUPREY, P. L; O’CONNOR, D. Cirurgia de pequenos animais, 3ed, Rio de Janeiro: Elsevier,p.367, 2008.

HARVEY, C.E. Oral cavity. In: SlatterWB (eds): Textbook of small animal surgery, 2nd ed. Pheladelphia: Saunders Co.,p.515–520, 2006.

NELSON, R.W.; COUTO, C.G., Fundamentos de Medicina Interna de Pequenos Animais, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p. 322-42, 2001.

SANTANA, C. L. et al. Mucocele salivar complexa em cão-relato de caso. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 12, n. 2, p. 55-56, 2014.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora