Tudo sobre: Neoplasias de uretra

Introdução

A uretra é um canal que faz parte do sistema urinário responsável por conduzir a urina armazenada na bexiga para o exterior do corpo durante a micção.

As neoplasias (formação de tecido com crescimento anormal) uretrais são pouco frequentes e podem ser benignas ou malignas (“câncer”), sendo o tipo mais comum nos cães o carcinoma de células transicionais (neoplasia maligna), extremamente raro em gatos. Outras neoplasias que podem acometer a uretra dos pequenos animais incluem o carcinoma de células escamosas, adenoma, adenocarcinoma, fibroma, hemangiossarcoma e leiomioma

Esses tumores podem ser primários (da própria uretra) ou secundários, oriundos de neoplasia prostática ou vesical. Mas, no geral, correspondem às expansões de neoplasias vesicais ou prostáticas. Os carcinomas acometem mais fêmeas idosas do que machos, não havendo predileção por uma raça específica. 

A expansão do tumor, seja ele benigno ou maligno, pode levar à obstrução uretral - que resulta em retenção urinária e estrangúria (dor ao urina).

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

  • Estrangúria
  • Hematúria
  • Descarga vaginal
  • Incontinência urinária (geralmente em fase mais avançada)
  • Dispneia
  • Claudicação em caso de metástase óssea
  • Êmese, anorexia e depressão (em caso de obstrução uretral) 
  • Dor abdominal
  • Fraqueza
  • Tosse

*É comum ocorrer associação com outras enfermidades do trato urinário inferior, como cistite (inflamação da bexiga), por exemplo.

Diagnóstico

Associação entre anamnese detalhada e exames físico e complementares. O(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar/ realizar os seguintes exames complementares:

  • Hemograma
  • Ultrassonografia abdominal
  • Urinálise
  • Radiografia 
  • Uretrocistografia de contraste duplo
  • Uretrografia de contraste positivo
  • Citologia esfoliativa do canal da uretra
  • Citologia aspirativa por agulha fina guiada (CAAF) por ultrassom
  • Uretroscopia/ cistoscopia
  • Biópsia transuretral

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

Se a obstrução for parcial ou completa, o animal deve ser estabilizado antes do procedimento cirúrgico com fluidoterapia, desvio urinário cutâneo, antibioticoterapia, quimioterapia adjuvante, anti-inflamatórios e analgésicos para controle da dor.

Em casos de tumores que não podem ser operados, pode ser utilizado um stent paliativo (endoprótese expansível) para permitir o fluxo urinário em obstruções uretrais, sendo eficaz durante um certo período de tempo.

Prevenção

Não há formas de prevenir a ocorrência de neoplasias na uretra, porém, o acompanhamento periódico com um(a) médico(a) veterinário(a) pode auxiliar em diagnósticos e tratamentos precoces. 

Referências Bibliográficas


FOSSUM, T. W. Cirurgia de pequenos animais. 4° edição, p.767-771, 2014.

DALECK, C. R.; DE NARDI, A. B. Oncologia em cães e gatos . Grupo Gen-Editora Roca Ltda., 2016.

SILVA, M. M. V. et al. Fibrossarcoma uretral primário em cadela. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v. 63, n. 6, p. 1353-1358, 2011.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora