Tudo sobre: Neoplasias Encefálicas

Introdução

As neoplasias intracranianas são responsáveis por grande parte de disfunções neurológicas nos cães e gatos. Acometem geralmente cães de meia idade a idosos e podem ser classificadas como primárias ou secundárias.

As neoplasias encefálicas demonstram predileção para as raças Golden Retriever, Boxer, Labrador Retriever, Buldogue Francês, Collie e Schnauzer, embora possam acometer outras raças e cães sem raça definida (SRD).

Dentre as neoplasias intracranianas a mais comum é o meningioma, seguido pelo glioma, neuroblastoma, sarcoma indiferenciados, entre outros. As manifestações clínicas variam de acordo com o tipo e localização do tumor, sua agressividade e grau de compressão das estruturas adjacentes. De forma geral, a sintomatologia ocorre como resultado da compressão das estruturas adjacentes à formação tumoral, isquemia (falta de fornecimento sanguíneo para um tecido), edema, inflamação e necrose tecidual.

Ao contrário das neoplasias primárias, as metástases intracranianas aparecem sob a forma de nodulações múltiplas e sua propagação ocorre por via hematógena (sanguínea) e pelo líquido cefalorraquidiano (LCR). O prognóstico para casos de metástase no sistema nervoso central (SNC) é desfavorável, independentemente do tipo de neoplasia, estando o paciente em um estadiamento mais avançado da doença.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

A sintomatologia varia de acordo com a localização do tumor, bem como sua expansão e compressão das estruturas adjacentes e capacidade de invasão.

  • Convulsão
  • Alteração comportamental
  • Letargia
  • Emagrecimento
  • Anorexia
  • Cefaleia
  • Dor à palpação da cabeça e do pescoço
  • Agressividade

Diagnóstico

Associação entre anamnese e exames físico e complementares. O(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar/ realizar os seguintes exames complementares:

  • Ressonância magnética simples ou contrastada
  • Análise do liquido cefalorraquidiano
  • Tomografia computadorizada simples ou contrastada
  • Biópsia guiada por tomografia
  • Histopatológico
  • Post mortem (necrópsia) 

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento clínico para cães e gatos com tumores intracranianos pode ser de suporte ou definitivo. A terapia de suporte aborda os efeitos secundários de um tumor, visando minimizar os sinais clínicos. Isso inclui a terapia com baixas doses de anti-inflamatórios esteroides (glicocorticóides), na tentativa de diminuir o edema, e medicação anticonvulsivante caso seja necessário.

A terapia definitiva é direcionada para eliminar as células tumorais, inclui radioterapia e quimioterapia ou até mesmo a ressecção cirúrgica da neoplasia quando possível.

A maioria dos animais com neoplasias intracranianas responde favoravelmente à terapia suporte. No entanto, esse tipo de terapia é paliativa e está associada a curto tempo de sobrevida.

Prevenção

Não há formas de prevenir a ocorrência de neoplasias encefálicas, porém, o acompanhamento periódico com um(a) médico(a) veterinário(a) pode auxiliar em diagnósticos e tratamentos precoces. 

Referências Bibliográficas


BENAVIDES, H. et al. Estudo retrospectivo de 32 neoplasias encefálicas diagnosticadas por imagens avançadas - ressonância magnética e tomografia computadorizada. Med. Vet, 2011.

CHAVES, R. O. et al. Neoplasias encefálicas em 40 cães: aspecto clínico - epidemiológicos e patológicos. Pesq. Vet. Bras, vol. 38, n. 4, p. 734-740, 2018.

FOSSUM, T. W. Cirurgia de pequenos animais. 4° edição, p. 1459-1463, 2014.

HORTA, R. S. et al. Neoplasias intracranianas em pequenos animais - revisão de literatura. Acta Veterinaria Brasilica, vol. 7, n. 4, p. 272-281, 2013

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora