Tudo sobre: Osteoartrite

Introdução

A osteoartrite, também denominada artrose ou osteoartrose, é uma doença articular degenerativa de evolução lenta, caracterizada por perda da cartilagem articular e exposição do osso subcondral (tecido subarticular mineralizado). A articulação afetada geralmente apresenta espaço articular diminuído, perda de cartilagem, esclerose do osso subcondral (aumento anormal da densidade óssea) e formação de proeminências ósseas denominadas “osteófitos”, resultado da inflamação crônica. 

Pode ser tanto primária quanto secundária. A forma primária, denominada idiopática, é menos comum e os fatores associados ao seu desenvolvimento geralmente são desconhecidos. A forma secundária é a mais comum em cães e gatos e suas principais causas são alinhamento incorreto dos membros, alterações de pelve (displasia coxofemoral), cotovelo (displasia do cotovelo) e joelho (ruptura do ligamento cruzado cranial, luxação de patela). 

É uma artropatia comum em seres humanos e animais, sendo mais comum em cães do que em gatos. Acomete animais adultos e idosos, sendo mais da metade com faixa etária entre oito e 13 anos. Portanto, é uma doença muito comum em pacientes geriátricos. 

Não há predileção racial para o desenvolvimento secundário de artrose, podendo acometer qualquer raça. Porém, a sua ocorrência primária apresenta certa predisposição racial. As doenças ortopédicas do crescimento com consequente desenvolvimento de artropatia são mais comuns em cães. Exemplares das raças Labrador Retriever e Pastor Alemão apresentam maior predisposição para desenvolver osteoartrite. Os fatores que potencializam a incidência de osteoartrite nos cães são: traumatismos, obesidade, envelhecimento e anomalias genéticas. Além disso, a prática excessiva de exercícios pode ser um fator predisponente. 

Pode ocorrer tanto em machos quanto em fêmea, sendo mais frequente nos primeiros. Cães de grande porte são os mais acometidos (45%), seguido dos de médio porte (28%) e de pequenos porte (27%). 

A osteoartrite pode ocorrer em outros animais, como aves e roedores, e os pacientes acometidos apresentam quadro clínico de dor articular. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Dor articular crônica

- Claudicação em diferentes graus

- Crepitação articular

- Edema da articulação

- Impotencia funcional do membro

Diagnóstico

Associação da anamnese detalhada aos exame físico, e complementares pelo(a) médico(a) veterinário(a). Exames que podem ser solicitados:

- Hemograma completo

- Radiografia simples

- Tomografia computadorizada

- Ressonância magnética 

Observação: A realização e a definição da necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento da osteoartrite é desafiador e depende da causa base da doença. Existem procedimentos cirúrgicos que podem ser realizados em casos de displasia coxofemoral, ruptura do ligamento cruzado cranial, luxação de patela e displasia do cotovelo a fim de evitar ou retardar seu desenvolvimento. Porém, quando essas alterações já estão muito avançadas e a osteoartrite muito desenvolvida, muitas vezes o manejo clínico se torna a única forma de controlar a dor, diminuir a sintomatologia e a progressão da artrose. 

A terapia medicamentosa pode ser realizada a partir da utilização de anti-inflamatórios não esteroidais (AINES) e moduladores da osteoartrite, tais como a condroitina. 

A fisioterapia também é recomendada com o intuito de aumentar o fluxo sanguíneo e linfático da área acometida, reduzir a dor, controlar a inflamação, melhorar a força e equilíbrio, aumentar a amplitude de movimento e tentar restabelecer o movimento articular normal. Nesse método, podem ser utilizados equipamentos como ultrassom terapêutico e laser terapêutico.

Prevenção

Não há como prevenir a ocorrência de doenças congênitas primárias que levem ao desenvolvimento de osteoartrite. Porém, uma vez que a obesidade e a realização de exercícios intensos durante a fase de crescimento são fatores predisponentes para a ocorrência da doença, os mesmos devem ser evitados. Além disso, a dieta tem um papel fundamental durante o crescimento dos animais, e a sobrealimentação (alimentação em excesso) de cães resulta em crescimento exagerado, com sobrecarga no esqueleto, podendo resultar em osteoartrite e outras doenças. É extremamente importante o fornecimento de uma dieta de qualidade e balanceada para um crescimento normal, juntamente com acompanhamento e orientação periódicos de um(a) médico(a) veterinário(a).

Referências Bibliográficas

MELE, E; Epidemiologia da osteoartrite; 4//Veterinary Focus//Vol 17 No 3// 2007

PRADA, T, C; MINTO, B, W; PEREIRA, N, W; KARCHER, D, E; DIAS, L, G, G, G; TRATAMENTO CLÍNICO DA OSTEOARTRITE DO JOELHO EM CÃES; REVISÃO DE LITERATURA; CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS; REVISTA OFICIAL; INVESTIGAÇÃO, 17(1): 16-23 2018

PASTORE, A;P; MATTES, B.R; ARAZI, L.B; FRANCISCO, M.F.R; POSSI, T.G; Fisioterapia no tratamento de osteoartrose em gatos - relato de caso; XI CONPAVET

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso