Tudo sobre: Otite interna

Introdução

A otite interna é uma doença inflamatória do conduto auditivo de cães e gatos. O ouvido dos pets é formado por um canal que conduz as vibrações sonoras processados pelas estruturas responsáveis pelo sentido da audição, o que inclui cartilagem, pele e células que liberam substâncias que protegem o conduto auditivo. Este canal é dividido em porções externa, média e interna, de acordo com a distância da estrutura que divide cada um deles até a entrada dos ouvidos. A otite pode acometer qualquer uma destas porções, sendo a otite interna a forma mais grave desta doença.

A orelha interna inclui estruturas com importantes funções para os animais, sendo elas: cóclea, vestíbulo e canais semicirculares, que ficam no interior do labirinto ósseo. Além dos estímulos de audição, algumas das estruturas da porção média do conduto estão envolvidas no equilíbrio e coordenação de movimentos da face, portanto os sinais da otite média são complexos e podem se confundir com outras doenças. Normalmente ocorrem sinais clínicos neurológicos e surdez, no entanto sua gravidade depende do tempo que a doença está instalada e do seu grau de evolução, portanto é possível que estas manifestações não sejam evidentes no início.

As otites média e externa são consideradas fatores predisponentes para esta doença. A conformação da orelha, estenose do canal auditivo, infecções parasitárias, alergias, tumores, doenças autoimunes, doenças congênitas, medicamentos, ferimentos graves e corpos estranhos são alguns fatores que podem acarretar o surgimento da otite interna.

A doença tem melhor resolução quanto antes for instituído tratamento. Otites internas não tratadas correm o risco de evoluir para doenças que ameaçam a vida dos pets, como abcessos em sistema nervoso, osteomielite e meningite.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

- Otite externa

- Prurido

- Meneios de cabeça

- Otorreia

- Paralisia de nervo facial

- Síndrome de Horner

- Ptose auricular

- Ptose palpebral

- Dor

- Sialorreia

- Ceratoconjuntivite seca

- Miose

- Hiporexia

- Surdez

- Anorexia

- Prostração

- Síndrome vestibular periférica

- Inclinação de cabeça

- Nistagmo

- Ataxia

- Quedas

- Andar em círculos

- Rolamento

- Êmese

- Head tilt

Diagnóstico

- Citologia

- Otoscopia convencional

- Video-otoscopia

- Cultura

- Biópsia

- Testes de susceptibilidade (antibiograma, antifungigrama)

- Radiografia

- Tomografia computadorizada

- Pneumotoscopia

- Ultrassonografia

- Ressonância magnética

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento da otite interna pode ser clínico, com o uso prolongado de antibióticos orais de amplo espectro de boa penetração na orelha interna ou cirúrgico, o que pode envolver remoção ou ablação total das estruturas do conduto auditivo com remoção óssea da bula timpânica sob anestesia geral a depender da gravidade do caso, principalmente quando não houver resposta satisfatória ao tratamento medicamentoso. Na presença de otite média ou externa, estas doenças devem ser tratadas em conjunto a otite interna, o que pode incluir o uso de soluções antifúngicas ou antibacterianas tópicas e lavagem profunda sob anestesia.

Podem ser associados medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios, glucocorticóides e antivertiginosos, isto é, contra a náusea resultante das alterações de equilíbrio que a doença provoca. Doenças de base que possam estar relacionadas a otite interna devem ser tratadas para evitar recidivas.

Uma vez que o pet tenha apresentado sinais neurológicos, estes podem persistir apesar do tratamento e resolução da inflamação e infecção do conduto auditivo.

Prevenção

As otites em geral são doenças multifatoriais e algumas causas são parte da conformação e genética dos pets, no entanto uma boa higiene e saúde geral são fundamentais para o controle e prevenção da doença. Otites externas e média devem ser tratadas para que não evoluam a um quadro de otite interna. O diagnóstico precoce da otite interna pode contribuir para que os animais tenham uma melhor recuperação do quadro, sendo recomendado que seu pet faça visitas periódicas ao Médico Veterinário para acompanhamento de seu estado geral.

Referências Bibliográficas

BIRCHARD, S. J; SHERDING, R. G. Manual Saunders: clínica de pequenos animais. Roca, São Paulo, 2º edição; 2003.

ETTINGER, S. J; FELDMAN, E. C. Tratado de Medicina Interna Veterinária. 4º edição; 1997.

GOTTHELF, Louis N. Diagnosis and treatment of otitis media in dogs and cats. In: Veterinary Clinics: Small Animal Practice, v. 34, n. 2, p. 469-487, 2004.

GRACE, S.F. Otitis Media and Interna. In: NORSWORTHY, G.D. In: The Feline Patient. 4.ed. Iowa: Blackwell, 2011 p. 374-376

HNILICA, K. A.; PATTERSON, A. P. Small Animal Dermatology-E-Book: A Color Atlas and Therapeutic Guide. Elsevier Health Sciences, 2016.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso