Tudo sobre: Otohematoma

Introdução

O otohematoma, também chamado de hematoma auricular, é uma doença otológica, ou seja, que acomete a região das orelhas de cães e gatos. Trata-se de um inchaço e acúmulo de líquido inflamatório, sangue, coágulos ou outras secreções no espaço entre a pele e cartilagem da orelha. Normalmente ocorre devido à ruptura de pequenos vasos no interior da orelha, devido a traumatismos ou chacoalhamento de cabeça por cães ou gatos.

Embora possa ocorrer em pets de qualquer idade, sexo ou raça, há uma tendência maior de ocorrer em cães de orelhas pendulares (como por exemplo Cocker Spaniel e Basset Hound), no entanto pode acontecer também em cães de orelhas eretas e, com menor frequência, nos gatos. O inchaço pode ser unilateral ou bilateral. Em processos iniciais, o inchaço é de consistência macia e flutuante, porém caso permaneça por muito tempo sem tratamento, pode tornar-se firme.

Esta doença costuma estar associada a uma causa base que o motiva a balançar bruscamente a cabeça ou coçar as orelhas com as unhas, portanto, sempre deve-se identificar e tratar o problema subjacente. Dentre as causas, podemos citar os ácaros, pulgas, dermatite atópica, hiperadrenocorticismo, feridas lacerantes provocadas por brigas, mordedura e otites.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

- Meneios de cabeça

- Prurido leve a intenso

- Eritema

- Dor

- Hiporexia

- Otite externa

- Otite média

- Otite interna

- Tumefação de orelha

Diagnóstico

- Citologia

- Otoscopia convencional

- Otoscopia por vídeo

- Punção aspirativa por agulha fina (PAAF)

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O primeiro passo para o sucesso no tratamento dos otohematomas é a identificação da causa base e seu tratamento, a fim de evitar recorrência. Podem ser prescritos anti-inflamatórios e anti-histamínicos para controle da coceira do pet. Em caso de infecções secundárias, podem ser associados antibióticos orais.

A abordagem do inchaço da orelha dependerá do tipo de líquido presente, tempo de evolução e sua localização. Pode ser recomendada a drenagem simples, técnicas cirúrgicas de drenagem contínua feita sob anestesia ou remoção da porção afetada a depender de quão crônico é o caso.

Alguns casos podem se beneficiar de tratamentos homeopáticos orais e massagens recomendadas pelo(a) Médico(a) Veterinário(a). O prognóstico é bom caso a doença seja identificada no início e seja tratada a causa base da coceira.

Prevenção

É de grande importância zelar pela saúde da pele dos pets a fim de evitar situações que predisponham à coceira e, com isso, a formação dos otohematomas. Um bom controle de parasitas de pele, banhos periódicos e aparar os pelos no interior das orelhas em pets muito peludos nesta região são boas medidas para reduzir os riscos de serem afetados com esta afecção.

Em casos de alergias, problemas de pele recorrentes e pets predispostos ao otohematoma devido à sua anatomia, é importante controlar possíveis otites e realizar check-ups em um profissional para tratamento de possíveis doenças em suas fases iniciais.

Referências Bibliográficas

BIRCHARD, S. J; SHERDING, R. G. Manual Saunders: clínica de pequenos animais. Roca, São Paulo, 2º edição; 2003.

FOSSUM, T. Cirurgia de pequenos animais. Elsevier Brasil, 2015.

HARVEY, R. G. Ear diseases of the dog and cat. CRC Press, 2005.

HNILICA, K. A.; PATTERSON, A. P. Small Animal Dermatology-E-Book: A Color Atlas and Therapeutic Guide. Elsevier Health Sciences, 2016.

SCHIOCHET, F. et al. Hematoma auricular em gato: relato de caso. Vet. Foco, p. 198-205, 2010.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso