Tudo sobre: Piodermite

Introdução

Piodermite é uma alteração de pele, devido à infecção bacteriana que leva ao acúmulo de células de defesa com líquido proteico, ou seja, é uma lesão de pele de aspecto úmido. Pode atingir cães e gatos, no entanto, os caninos são mais afetados devido às características anatômicas inerentes à espécie que facilitam a infecção.

É extremamente comum sua ocorrência na rotina podendo ser primária ou secundária a alguma outra enfermidade, na maioria dos casos. A forma primária está relacionada à deficiências na resposta imune do paciente. Já a secundária ocorre quando existe uma causa base, em que um patógeno oportunista se multiplica levando à piodermite, podendo ocorrer devido à endocrinopatias, parasitas (ácaro, fungo, pulga, carrapato, larvas de moscas - “berne”/ ”miíase, traumatismos (arranhadura, mordidas, queimaduras), estresse comportamental, atopia, má higiene, calor, umidade e tratamento inadequado. 

A principal bactéria envolvida é o Staphylococcus pseudointermedius, anteriormente denominados como S. intermedius, patógenos oportunistas, podendo ser encontrados na pele, superfície nasal e intestinal de animais saudáveis. É de extrema importância lembrar do potencial zoonótico deste agente, ou seja, pode causar a doença tanto em animais quanto em seres humanos.

Transmissão

- Parasitas

- Mordedura

- Feridas

Manifestações clínicas

Lesões cutâneas exsudativas (úmidas), podem acorrer em qualquer região da pele. As alterações na pele que podem estar em conjunto ou isoladas:

- Pústulas

- Pápulas

- Crostas serosas

- Colaretes epidérmicos

- Mácula

- Alopecia

- Descamação

- Abcessos

- Tratos fistulosos

- Pele oleosa

Sinais clínicos que podem estar presentes:

- Lambedura e/ ou mordedura constante, devido à dor e/ ou prurido.

- Febre

- Linfadenomegalia 

- Anorexia/ hiporexia

- Prostração

Diagnóstico

Associação entre histórico clínico e exames complementares para determinar se é piodermite primária ou se existe uma causa base. Exames podem ser requisitados:

- Citologia 

- Tricograma

- Histopatologia

- Cultura bacteriana

- Hemograma completo

- Testes endócrinos 

Observação: a escolha de quais exames solicitar, fica a critério do(a) Médico(a) Veterinário(a), que vai avaliar e adequar sua conduta conforme a situação clínica do paciente. 

Tratamento

O tratamento vai depender da extensão e gravidade da lesão, ficando a cargo do(a) médico(a) veterinário(a) qual a melhor intervenção terapêutica. O tratamento consiste em controlar o crescimento bacteriano da pele e auxiliar no controle dos sinais clínicos apresentados, podendo ser realizado o tratamento das regiões afetadas e se necessário associar a terapia sistêmica.

Devido ao seu caráter zoonótico, é importante o uso de luvas e cuidados com higiene no manuseio desses pacientes.

Prevenção

Em algumas situações, é possível que haja a prevenção de piodermite por meio do controle de parasitas, calor e umidade e higiene dos animais.

É importante levar o pet ao(à) médico(a) veterinário(a) rapidamente quando identificada alguma lesão ou traumatismos a fim de evitar a ocorrência de uma infecção bacteriana secundária. Nesses casos, o uso do colar elisabetano é de extrema necessidade para que o animal não morda o local. O diagnóstico e controle de doenças endócrinas também evitam esse tipo alteração de pele.

Em casos de lesões devido ao estresse comportamental, é necessário uma mudança na rotina e manejo, por exemplo, introduzir mais passeios e entretenimento por meio de um enriquecimento ambiental.

Realizar o tratamento corretamente conforme a prescrição feita pelo(a) veterinário(a), de modo a evitar a resistência bacteriana.

Em casos em que o paciente possui alergia, é necessário que haja um acompanhamento veterinário para a identificação da causa.

Referências Bibliográficas

Rhodes, K.;Werner, A. Dermatologia em pequenos animais. Editora ROCA LTDA 2014; 224:248.

Willemse, A. Atopic skin disease: A review and a reconsideration of diagnostic criteria. J Small Anim Prac 1986; 27:771.

Deboer, D.Canino Staphylococcal Pyoderma. Veterinary Dermatology, 6:8, 2013.

Scott, D; Miller, W; Griffin, G. Dermatologia de Pequenos Animais. Interlivros, 1996.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso