Tudo sobre: Pneumonia

Introdução

Pneumonia é um termo utilizado para qualquer tipo de reação inflamatória dos pulmões que resulte em preenchimento de alvéolos por líquido e células sanguíneas. Essa afecção frequentemente acomete cães e gatos, sendo de etiologia multifatorial, podendo afetar qualquer raça, faixa etária e sexo. As causas podem ser infecciosas, como bacterianas, virais, fúngicas e parasitárias, ou não infecciosas, como no caso de pneumonia aspirativa, secundária à entrada de corpos estranhos nos alvéolos. Os agentes infecciosos podem entrar nos pulmões a partir da aspiração ou, de forma menos frequente, por via hematógena (sanguínea).

As pneumonias bacterianas têm como principais agentes primários em cães as espécies Bordertella bronchiseptica e Streptococcus zooepidemicus. Algumas bactérias oportunistas frequentemente envolvidas em quadros de pneumonia bacteriana são Pseudomonas, Klebsiella, Staphylococcus, Streptococcus, Pasteurella e Escherichia coli. Esse tipo de pneumonia apresentam importante associação com morbidade e mortalidade em cães e gatos, principalmente em animais internados. 

As pneumonias virais podem ser agudas ou crônicas, e os principais agentes envolvidos na doença em cães são o adenovírus canino e o parainfluenza. Já nos gatos, o principal agente viral é o calicivírus felino. Porém, o quadro clínico é secundário à infecção bacteriana oportunista, decorrente da imunossupressão. 

Os principais agentes envolvidos na pneumonia parasitária são Oslerus osleri, Aelurostrongylus abstrusus e Capillaria aerophila. Já a pneumonia micótica é comumente causada por blastomicose, coccidiomicose e histoplasmose.

Quando a inflamação pulmonar é causada por aspiração, o conteúdo geralmente é alimentar ou então advindo da cavidade gástrica. Sua consequência é a obstrução pulmonar mecânica que resulta em danos ao epitélio pulmonar e infecções secundárias. É importante descartar a possibilidade de megaesôgafo como causa primária de pneumonia aspirativa

A via de transmissão mais importante para os agentes causadores de inflamação pulmonar é por meio de aerossóis resultantes de tosses e espirros. No caso da pneumonia parasitária, a transmissão via fecal é importante.

Transmissão

- Aerossóis (tosse/ espirros)

- Fezes (pneumonia parasitária)

Manifestações clínicas

- Tosse seca

- Tosse produtiva 

- Dispneia

- Letargia

- Anorexia

- Depressão

- Emagrecimento

- Pirexia

Diagnóstico

Associação da anamnese detalhada aos exame físico, e complementares pelo(a) médico(a) veterinário(a). Exames que podem ser solicitados:

- Hemograma completo

- Radiografias torácicas

- Hemogasometria

- Lavado broncoalveolar

- Citologia e cultura bacteriana das vias aéreas 

- Exame de fezes

Observação: A realização destes e a necessidade de outros exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

Em casos de desconforto respiratório, terapia suporte pode ser utilizada, tal como oxigenioterapia, repouso, alimentação adequada e fluidoterapia. Além disso, podem ser utilizados broncodilatadores com o objetivo de reduzir a fadiga muscular ventilatória, realização de nebulização e fisioterapia para pneumonia a fim de promover a tosse e consequente expulsão do conteúdo ocupante do espaço alveolar.

Para combater o agente causador da pneumonia, podem ser utilizados antibióticos, antifúngicos e antiparasitários. A escolha pelo tipo de medicamento vai depender do tipo de agente envolvido.

Prevenção

Como prevenção para algumas formas de pneumonia é indicada a realização de vacinação e a utilização de antiparasitários conforme a orientação do(a) profissional médico(a) veterinário(a). Além disso, os(as) tutores(as) de cães e gatos devem recolher as fezes dos seus animais com frequência para evitar a transmissão de parasitas com potencial de causar alterações respiratórias. 

Referências Bibliográficas

MURAKAMI, VANESSA YURIKA; PRÓPERO, MANUELA BARBUI; MONTANHA, FRANCISCO PIZZOLATO; PNEUMONIA E EDEMA PULMONAR: ESTUDO COMPARATIVO. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN: 1679-7353; Ano IX - Número 17 - Julho de 2011 - Periódicos Semestral. 

PALMIERI, F, A; ALCALÁ, C O, R; YONEMURA, D, L; JÚNIOR, A, Z; MEGAESÔFAGO IDIOPÁTICO CONGÊNITO; V Jornada de Iniciação Científica da UENP - 2015. 

CARVALHO, G, S; Aspergilose pulmonar em cão; MONOGRAFIA. Patos - PB - 2013. 

FERREIRA DA SILVA, J.M; PEREIRA DA FONSECA, I.M; MADEIRA DE CARVALHO, L.M; MEIRELES, J.A.F.S; FAZENDEIRO, I; Pneumonia em gato por Aelurostrongylus abstrusus - necessidade de um diagnóstico precoce. RPCV (2005) 100 (553-554) 103 - 106.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora