Tudo sobre: Prolapso uterino

Introdução

Embora seja mais comum em vacas, o prolapso uterino também ocorre em cadelas e gatas. Trata-se da projeção ou inversão do útero, ou de parte dele, para o meio externo através do canal vaginal. O prolapso acontece no período imediato após o parto e ocorre principalmente devido ao esforço excessivo para a expulsão do feto ao nascimento. Processos irritativos que promovam contrações exageradas também estão envolvidos na causa de prolapsos.

Os fatores que mais predispõem a prolapsos uterinos são: partos distócicos, filhotes muito grandes, retenção de placenta e ligamentos uterinos flácidos após muitas gestações consecutivas.

No Brasil, os prolapsos uterinos são mais comumente relatados em cadelas do que em gatas, embora muitos relatos da literatura mundial apontem ser mais comum em gatas. Não há predisposição racial e devido às múltiplas gestações causarem um afrouxamento dos ligamentos uterinos, pode ser mais comum em fêmeas multíparas e mais velhas.

Quando o útero se projeta para o meio externo, pode ocorrer interiorização de alças intestinais ou da bexiga para dentro do útero, então um exame minucioso deve ser realizado, pois os fetos também podem ser encontrados retidos em úteros prolapsados. O prolapso uterino trata-se de uma emergência e pode exigir laparotomia imediata, pois pode ocorrer ruptura uterina e a hemorragia ser fatal.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

-Observação do útero ou partes dele na região vulvar

 Sinais inespecíficos

-Dor abdominal

-Esforço

-Inquietação ou apatia no pós-parto

-Congestão, edema, isquemia, necrose do útero exposto

-Sinais de choque em casos de hemorragia

Diagnóstico

-Histórico

-Exame clínico

-Observação da projeção do útero pela vulva

-Ultrassonografia pode ser necessária

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário. 

Tratamento

O animal deve ser anestesiado e se o útero estiver viável e, quando possível, é feita a realocação manual do órgão para a cavidade abdominal. O mais recomendado é a laparotomia imediata para inspeção dos ligamentos e identificação de rupturas de vasos, o que exige a histerectomia (castração).

Prevenção

A ovariossalpingo-histerectomia (castração da fêmea) é a maneira mais eficiente de prevenir prolapsos uterinos e outras doenças.

Referências Bibliográficas

PRESTES, N.C.; LEAL, L.S. Patologias da Gestação, Parto Distócico e Puerpério Patológico em Cadelas e Gatas. Em: Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Márcia Marques Jericó; João Pedro de Andrade Neto; Márcia Mery Kogika. Ed. 1. Guanabara Coogan: Rio de Janeiro. P. 4655 - 4658, 2015.

SANTOS, R.L.; NASCIMENTO, E.F.; EDWARDS, J.F. Sistema Reprodutivo Feminino. Em: Patologia Veterinária / Renato de Lima Santos e Antônio Carlos Alessi. 2 ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. p.1251-1252, 2016.

LITTLE, S.E. Reprodução Feminina. Em:O Gato Medicina Interna/Susan E. Little. 1. ed.,Ed. Guanabara Coogan, p. 1715-1716,Rio de Janeiro, 2015.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora