Tudo sobre: Pseudocisto perirenal

Introdução

Pseudocistos perirrenais ou perinéfricos são acúmulos de líquido em região perirenal entre a cápsula e o parênquima do rim, não sendo delimitado por tecido epitelial. Mais relatado em gatos do que em cães, esses pseudocistos são incomuns tanto em humanos quantos em animais de companhia e não têm relação com idade, raça ou gênero. Os pseudocistos podem ser uni ou bilaterais e o conteúdo fluído em seu interior pode ajudar a definir a origem da formação do mesmo. Como conteúdo do pseudocisto renal pode-se encontrar transudatos, sangue ou urina. 

Causas possíveis causas para pseudocistos perirrenais incluem traumatismos no rim ou em ureteres proximais, necrose da gordura perirenal, neoplasias, ruptura de pelve ou de aneurismas, intercorrências cirúrgica, distúrbios de coagulação, em decorrência da realização de paracenteses, obstrução do trato urinário com extravasamento de urina para a região subcapsular, ou pode não ter uma causa aparente sendo classificado como idiopático.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

- Renomegalia

- Distensão abdominal

- Dor à palpação abdominal

- Comprometimento da função renal

- Anorexia

- Êmese

- Poliúria

- Polidipsia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

- Histórico de trauma

- Palpação abdominal/renal

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Hemograma

- Urinálise

- Ureia

- Creatinina

- Dimetilarginina simétrica (SDMA)

- Ultrassonografia abdominal

- Radiografia abdominal 

- Urografia excretora

- Citologia do líquido drenado

- Biopsia

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

A drenagem do pseudocisto é importante, pois o conteúdo pode extravasar para a cavidade abdominal e gerar ascite e peritonite. Se a avaliação do líquido demonstrar contaminação bacteriana opta-se pelo uso de antibióticos lipossolúveis. 

A retirada do líquido é feita por punção cutânea, porém é de efeito momentâneo, sendo na maioria das vezes necessária a intervenção cirúrgica com ressecção quase total da cápsula comprometida deixando apenas pequena margem próxima ao parênquima renal.

Prevenção

Se o(a) tutor(a) presenciar algum tipo traumatismo em seu animal, é de extrema importância relatar ao(à) médico(a) veterinário(a) no momento da consulta para que exames mais específicos e efetivos sejam feitos. Ao notar aumento de volume abdominal e alterações de comportamento como dor à manipulação e dificuldade de micção, é importante procurar ajuda veterinária o mais rápido possível.

Referências Bibliográficas

MILES, K.G.; JERGENS, A.E. Unilateral Perinephric Pseudocyst of Undetermined Origin in a dog. Veterinary Radiology & Ultrasound, v. 33, n. 4, p. 277-281, 1992.

OCHOA, V.B. et al. Perinephric Pseudocysts in the Cat: A Retrospective Study and Review of the Literature. J. Vet. Intern. Med., v. 13, p. 47–55, 1999.

BECK, J.A. et al. Perirenal pseudocysts in 26 cats. Aust. Vet. J., v. 78, n. 3, mar. 2000

LUIS, J.P.S.; VIEIRA,C.; CARVALHO, AP.; MELO, M. Pseudoquisto renal subcapsular a propósito de dois casos clínicos em gato. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, v. 98, n. 548, p. 211-216, 2003.

SANTOS, D.R. et al. Contribuição da ultrassonografia no diagnóstico de pseudocisto perinéfrico urinífero em um felino - relato de caso. Med. Vet., v. 5(4 Supl. 1), p. 27, 2011.

CASTRO, V.S.P. et al. Bilateral Perinephric Pseudocyst in a Cat. Acta Scientiae Veterinariae, v. 41(Suppl 1), pub. 18, 2013.

ORIOLES, M.; DI BELLA, A.; MERLO, M.; TER HAAR, G. Ascites resulting from a ruptured perinephricpseudocyst associated with a renal cyst in a dog. Vet Rec Case Rep. v. 2, 2014.

MARGIE, S. Trato Urinário Superior. Em: O Gato Medicina Interna/Susan E. Little. Ed. Guanabara Coogan, 1 ed., p. 1358-1359 ,Rio de Janeiro, 2015.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso