Tudo sobre: Queiletielose

Introdução

A Queiletielose é uma doença da pele causada pelo parasito Cheyletiella spp. Também conhecida como “caspa ambulante”, a patologia pouco relatada é causada por um ácaro, um tipo de sarna que parasita principalmente gatos, mas também pode ocorrer em cães, lagomorfos como coelhos, e ainda outros mamíferos incluindo os humanos.

Por se tratar de uma doença contagiosa, essa sarna pode ser transmitida de um animal para outro por contato ou pelo ambiente infectado. Os seres humanos podem ser infectados da mesma forma, porém não são a espécie preferida do ácaro, sendo classificados então como hospedeiros acidentais do parasita. Abrigos apresentam a infestação do ácaro com maior frequência devido ao grande volume de novos animais que podem carregar o parasita, e os filhotes nesses casos são propensos a desenvolver a doença de forma mais grave por não apresentarem o sistema imunológico ainda bem desenvolvido.

A presença do ácaro no animal provoca uma descamação intensa, por isso a infestação pode ser confundida inicialmente com uma caspa, ou seborreia nos pelos, inicialmente no tronco e com o passar do tempo a descamação pode se espalhar por todo o corpo do animal. Os outros sinais podem ser bem variados, alguns animais apresentam muita coceira, enquanto outros podem apresentar pouca ou nenhuma coceira durante esse período.

Transmissão

-Contato direto

-Fômites

Manifestações clínicas

Alguns animais podem ser portadores assintomáticos do ácaro.

No geral, os sintomas apresentados são:

-Prurido

-Alopecia 

-Descamação da pele

-Edema

-Ulceração de pele

-Hiperqueratose

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, epidemiologia e exames laboratoriais.

O médico veterinário pode realizar a observação do parasita em exame clínico a olho nu ou com auxílio de equipamentos de aumento, como microscópios.

 Exames que o médico veterinário pode solicitar:

-Pesquisa Direta para Sarnas e Fungos (Raspado de pele)

-Cultura para Fungos

-Cultura para Fungos Dermatófitos (VETCHEK)

-Biópsia 

-Parasitológico de Fezes

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário.

Tratamento

O tratamento deve ser realizado não só no animal doente, mas em todos os animais que convivem juntos no ambiente, pois mesmo sem sintomas claros eles podem já ter sido parasitados e vir a desenvolver a doença mais tarde, ou ainda, serem portadores assintomáticos e continuar a transmissão do ácaro para os animais tratados.

A Cheyletiella pode sobreviver fora do animal por até 10 dias, portanto é extremamente importante que o ambiente também seja tratado ao mesmo tempo que os animais infectados ou as instalações podem permanecer como fonte de infestação após o tratamento dos animais.

A infestação deve ser tratada com medicamentos antiparasitários que serão determinados de acordo com a idade do animal, severidade da doença e características do ambiente, porém geralmente os medicamentos anti-pulgas normalmente usados por tutores de pets para controle de pulgas são bastante eficazes também no controle do ácaro.

Animais de pelo longo devem ser preferencialmente tosados para facilitar o tratamento. Alguns dos medicamentos que podem ser utilizados em aplicações na pele do animal são: Fipronil, piretrina, amitraz, carbamato ou organofosforados, sempre com orientação do médico veterinário. Em alguns casos, também podem ser recomendados medicamentos por via oral ou injetável como milbemicina ou ivermectina (desde que a raça não tenha restrições quanto ao uso deste último).

Prevenção

As medidas de controle da doença se baseiam prioritariamente no tratamento dos animais acometidos, animais que convivem no mesmo ambiente e no tratamento do ambiente para evitar a reinfestação. A utilização frequente de medicamentos anti-pulgas pode evitar a infestação também pelo ácaro causador da Queiletielose. Existe ainda a preferência do ácaro por ambientes úmidos, portanto manter o ambiente arejado e seco pode auxiliar na prevenção da doença.

A higiene ambiental e banhos regulares nos animais são importantes formas de prevenção de infestações de parasitos, assim como cuidados gerais de saúde que vão garantir uma imunidade adequada para o combate de doenças.

Referências Bibliográficas

ALVIM, Nivaldo Cesar et al. Queiletielose em cão. Revista científica eletrônica de medicina veterinária. ed5 jul, 2005.

FERREIRA, Luciana Maciel; NASSAR, Kendra Costa. Queiletielose em cão relato de caso. MEDVEP Derm., v. 2, n. 3, p. 148-152, 2012.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso