Tudo sobre: Saculite Anal

Introdução

A infecção e impactação do saco anal, também conhecida como saculite anal, se dá pelo acúmulo anormal de secreções do saco anal secundário a inflamação, infecção ou obstrução do ducto. 

Os sacos anais estão localizados laterais ao ânus e é possível observar um pequeno orifício por onde a secreção é liberada. As excreções são expelidas através dos ductos durante a defecação normal e excitação extrema. São necessárias fortes contrações do esfíncter para o esvaziamento do saco anal. A secreção é normalmente fétida e pastosa.

Acomete aproximadamente 10% dos cães e geralmente é causada por infecção ou obstrução do ducto. Quando ocorre inflamação o volume da secreção aumenta, servindo como meio ideal para o crescimento bacteriano, podendo resultar em uma infecção ou até em ruptura do saco anal. A saculite anal pode acometer animais de qualquer idade, raça e gênero, no entanto, é mais comum em cães de pequeno porte e raças Toy. A saculite anal pode estar associada à dermatite seborreica ou outras dermatites.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

- Diarreia

- Irritação anal

- Perseguição da cauda

- Corrimento perianal fétido

- Dor

- Edema

- Sensibilidade

- Mudança de comportamento

- Tenesmo

- Disquesia

- Constipação

- Hematoquezia

- Pirexia

- Deslizamento sentado

- Lambedura constante no local

Diagnóstico

-Palpação retal (realizada por um médico veterinário)

-Inspeção dos sacos anais

-Radiografia abdominal

-Ultrassonografia abdominal

-Tomografia Computadorizada

-Ressonância Magnética

-Fistulograma

-Cultura bacteriana e antibiograma da secreção

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do Médico Veterinário. 

Tratamento

Conservativo:

O tratamento depende do estágio da infecção. Pode ser realizada a compressão manual, lavagem do saco acometido, uso de antibióticos e anti-inflamatórios tópicos e sistêmicos, e mudança do manejo alimentar. Se o animal apresentar dermatite ela deve ser tratada facilitando assim o tratamento da saculite anal. 

Cirúrgico:

Se houver falha no tratamento conservativo ou recidivas, o animal deverá passar por tratamento cirúrgico. A indicação é a retirada de um ou de ambos os sacos anais.

Após 14 dias em média do procedimento cirúrgico pode ocorrer drenagem excessiva, inflamação, formação de edema, incontinência fecal (temporária ou permanente) e/ ou abertura dos pontos de pele. Porém, geralmente o prognóstico é bom.

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

ARONSON, L. Reto e Ânus. In: SLATTER, D. Manual de cirurgia de pequenos animais. 3. ed. São Paulo: Manole, 2007, cap. 43. p. 697 - 701.

FOSSUM, T; W. Cirurgia de pequenos animais. 4° edição, p.565-568, 2014.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora