Tudo sobre: Salmonelose

Introdução

A salmonelose é uma doença causada pela bactéria Salmonella spp., pertencente à família das Enterobactérias. Essas bactérias são altamente adaptadas para a contaminação e a colonização do trato gastrointestinal tanto dos humanos quanto dos animais, sendo responsáveis por quadros de gastroenterites.

Além da infecção causada pela ingestão de água e alimento contaminados, a transmissão também pode ocorrer devido às más condições higiênicas e ao contato direto com animais doentes ou portadores assintomáticos, como cães, gatos, galinhas, porcos, répteis e anfíbios.

Os animais domésticos podem adquirir a infecção da mesma forma que os seres humanos e por meio do consumo de carne crua contaminada, aves ou produtos derivados contaminados. 

Os animais mantidos em canis apresentam maior risco de contrair a infecção e cães jovens, uma vez infectados, são mais propensos a desenvolver a doença. A salmonelose ocorre principalmente em animais jovens/ filhotes com menos de um ano de idade e animais debilitados e imunossuprimidos.

Transmissão

- Alimentos contaminados

- Água contaminada

- Fômites 

- Fezes contaminados

Manifestações clínicas

- Diarreia

- Apatia

- Anorexia 

- Desidratação

- Emagrecimento progressivo

- Êmese

- Pirexia

- Sinais de sepse

- Dor abdominal

- Óbito

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos e anamnese

- Hemograma completo

- Bioquimico

- Coleta de material por Swab estéril

- Coprocultura

- Necropsia (post mortem)

Tratamento

O tratamento varia de acordo com a sintomatologia clínica do(a) paciente. Em casos mais graves, é indicada a internação do animal para reposição hidroeletrolítica com fluidoterapia, antibioticoterapia sistêmica após antibiograma de preferência (saber qual melhor antibiótico) para combater a bactéria, utilização de analgésicos que tenham efeitos em vísceras, antieméticos, protetores gástricos, drogas vasopressoras (aumentar a pressão arterial), se necessário, e alimentação parenteral.

Os animais infectados devem ser isolados durante o tratamento e manifestação clínica.

O prognóstico geralmente é bom, porém, em casos de septicemia (infecção generalizada) é reservado.

Prevenção

A prevenção de salmonelose em cães e gatos ocorre por meio do manejo sanitário correto (retirada diária das fezes, limpeza periódica do ambiente, fornecimento de água de qualidade e limpeza frequente dos recipientes de alimento e água). Além disso, deve-se fornecer aos animais alimentos de origem conhecida e de qualidade, não oferecer carne crua e, em casos de fornecimento de alimentos in natura, recomenda-se a higienização adequada.

Em relação à prevenção em seres humanos, algumas condutas simples podem evitar contaminação, como higienização dos alimentos, lavar as mãos adequadamente, cozinhar a carne e ovos e evitar o consumo de alimentos de procedência duvidosa.

Referências Bibliográficas

MEGID, J. et al. Salmonelose em cães de experimentação. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, v. 38, n. 1, 2001.

VIEL, P; DEGENHARDT, R; D’AGOSTINI, F. M. Presença de Salmonella SPP. em fezes de gatos no município de Ouro, SC. Unoesc & Ciência - ACBS, v. 5, n. 2, p. 203-208, 2014.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso