Tudo sobre: Síndrome da Fragilidade Cutânea Felina

Introdução

A síndrome da fragilidade cutânea felina é um distúrbio adquirido que promove um afinamento da pele do gato a ponto de, em caso de mínimo traumatismo, provocar a ruptura da mesma. Quando ocorre o rompimento da pele geralmente não há sangramento ou ocorre sangramento mínimo. A pele dos gatos portadores da síndrome não é extensível, ou seja, ela não se expande quando tracionada, o que aconteceria em animais normais. As fibras colágenas que dão elasticidade à pele estão desorganizadas e em menor quantidade em gatos que apresentam a síndrome. Geralmente observada em gatos de meia idade a idosos, não apresenta relação com o sexo e nem com raças específicas. 

Essa síndrome é uma das principais manifestações clínicas em casos de hiperadrenocorticismo em gatos. Nessa doença, ocorre um aumento dos níveis de hormônios corticoides e menor produção de colágeno promovendo a fragilidade da pele. Pode também estar relacionada ao uso excessivo de medicamentos progestágenos, à diabetes mellitus e em casos de caquexia severa. Na caquexia, a falta de ingestão dos nutrientes adequados, associado à predisposição para a síndrome, gera menor produção e deposição de colágeno na pele a tornando frágil.

A fragilidade cutânea felina já foi relatada em gatos com lipidose hepática, peritonite infecciosa felina (PIF), histoplasmose disseminada, colangiohepatite e linfoma multicêntrico, porém essas associações não tiveram a patogênese esclarecida. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Sinais inespecíficos (isolados ou em conjunto):

-Emagrecimento progressivo

-Caquexia

-Desidratação

-Apatia

-Mucosas pálidas

-Abdomen distendido

-Poliúria

-Polidipsia

-Polifagia

-Perda de massa muscular

Sinais relacionados à doença

-Lacerações cutâneas sem evidenciação de sangramento e cicatrizes de lesões anteriores

-A pele fina que se rasga facilmente à mínima tração

-Alopecia ou pelos esparsos 

-Crostas 

-Vasos sanguíneos facilmente visíveis

Diagnóstico

-Histórico de lesões de pele que ocorram em traumas mínimos

-Biopsia e histopatológico

-Dosagem de cortisol em casos de suspeita de hiperadrenocorticismo e investigação da causa dessa doença 

-Investigação de outras doenças relacionadas à síndrome

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do (a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

Deve-se investigar a causa primária da doença para instituir o tratamento adequado. Muitas vezes podem ocorrer infecções secundárias na pele e a antibioticoterapia ser necessária. Uma dieta balanceada indicada pelo médico veterinário pode ser instituída assim que diagnosticada a síndrome.

Prevenção

O hiperadrenocorticismo é a principal causa da síndrome da fragilidade cutânea felina e pode ser causado pelo uso excessivo de corticoides, então é importante não utilizar nenhum medicamento sem orientação do médico veterinário. 

Uma dieta balanceada também é importante para a manutenção do colágeno da pele, assim esta deve ser adequada à fase da vida do animal e oferecida na quantidade certa. 

Referências Bibliográficas

TROTMAN, Tara K.; MAULDIN, Elizabeth; HOFFMANN, Vickie; DEL PIERO, Fabio; HESS, Rebecka S. Skin fragility syndrome in a cat with feline infectious peritonitis and hepatic lipidosis. Veterinary Dermatology. v, 18, n. 5, p. 365-369, oct., 2007. 

FURIANI, Nicla; PORCELLATO, Ilaria; BRACHELENTE, Chiara. Reversible and cachexia-associated feline skin fragility syndrome in three cats. Veterinary Dermatology, v. 28, p. 508–e121, 2017. DOI: 10.1111/vde.12457

DA SILVA, Ana Paula; FIGHERA, Rafael Almeida. Síndrome da fragilidade cutânea adquirida e diabetes mellitus secundários ao hiperadrenocorticismo em um gato. Acta Scientiae Veterinariae, v. 46(Suppl 1), p. 289, 2018

SCHANABEL, Anna Maria, JERICÓ, Márcia Marques. Hiperadrenocorticismo Felino. Em:Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Ed. 1. Guanabara Coogan: Rio de Janeiro, 2015, p. 5121-5128. 

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso