Tudo sobre: Síndrome do Tremor Idiopático

Introdução

A síndrome do tremor idiopático é uma doença neurológica que acomete cães jovens de qualquer sexo, definida como tremores e movimentos oscilatórios restritos a uma parte do corpo, principalmente na cabeça, ou generalizados em membros e outras partes do corpo. Estes tremores são movimentos repetitivos, rítmicos e involuntários, que tendem a não cessar mesmo tentando-se comunicar com o pet.

A doença também é conhecida como Síndrome do Tremor do Cão Branco, pois inicialmente foi descrita em cães brancos das raças West Highland White Terrier, Poodle e Maltês, no entanto sabe-se hoje que pode ocorrer em cães de qualquer pelagem. A maioria dos cães acometidos têm menos de cinco anos de idade e pesam menos que 15 kg.

O termo “idiopático” se refere a algo que surge de forma espontânea e não bem conhecida - dessa maneira, o mecanismo da doença ainda não é completamente entendido, porém acredita-se que seja transmitida por herança genética e possa estar relacionada com uma inflamação do sistema nervoso provocada pelo próprio sistema imune ou alteração na produção de substâncias importantes para a condução de estímulos nervosos.

É de grande importância descartar outras causas de tremores e convulsões focais para fechar o diagnóstico desta síndrome, tais como: intoxicações por medicamentos ou substâncias tóxicas, uso de medicamentos, hipoglicemia, hipocalcemia, lesões de crânio, epilepsia idiopática e encefalites infecciosas. Isso pode ser feito principalmente pelo histórico ao consultar um profissional Médico Veterinário, bem como a constatação de não haver alterações compatíveis com outras doenças em exames complementares.

Ainda não é bem estabelecido se a doença pode ocorrer nos gatos. Alguns relatos de caso correlacionam tremores sem outra causa aparente nos gatos com a doença e tratamento feitos nos cães, porém ainda há controvérsias se trata-se da mesma doença.

Transmissão

- Hereditária

Manifestações clínicas

- Tremores involuntários

- Desorientação espacial

- Apatia

- Ataxia

- Nistagmo

Diagnóstico

- Hemograma completo

- Glicose

- ALT-TGP

- Tomografia Computadorizada

- Ressonância Magnética

- Radiografia 

- Análise de Líquor

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento da síndrome do tremor idiopático é baseado no uso de corticoides de três a 12 semanas com redução gradativa da dose, podendo ser associado ou não ao uso de benzodiazepínicos e protetores gástricos.

Em alguns casos, a acupuntura pode ser recomendada para reduzir os tremores ou para alcançar uma redução da dose de medicamentos necessária para cessar as crises do pet. Os sintomas tendem a diminuir a partir da primeira semana de tratamento, geralmente cessando com algumas semanas de uso dos medicamentos.

Recidivas são possíveis após a primeira recuperação, portanto é preciso estar atento ao caso de seu pet apresentar sinais similares para que seja instituído um tratamento adequado.

Prevenção

A síndrome do tremor idiopático é uma doença de predisposição genética nos cães, portanto é importante conhecer o histórico familiar em animais de raça e estar atento a sinais compatíveis com a doenças nos cães jovens de pequeno porte. Os pets que iniciam o tratamento precocemente têm uma boa resposta e podem levar uma vida normal. 

É importante que os animais que apresentam esta síndrome sejam monitorados com frequência por um Médico Veterinário e que sejam feitas adaptações nas áreas em que vivem para proporcionar uma vida confortável e minimizar as consequências de crises, tais como disponibilidade de camas confortáveis e restrição de acesso a áreas em que possa sofrer quedas acidentais.

Referências Bibliográficas

CRIVELLENTIN, L. Z.; BORIN-CRIVELLENTIN, S. Casos de rotina em medicina veterinária de pequenos animais. São Paulo, 2ª edição, MedVet, 2015.

 DE FREITAS, D. M. et al. Corticosteroid Responsive Tremor Syndrome Associated with Estrus in a Female Dog. Acta Scientiae Veterinariae, v. 47.

 HÜNNING, P. S. et al. Síndrome do cão tremedor. Acta Scientiae Veterinariae, v. 38, n. 2, p. 209-212, 2010.

MAULER, D. A. et al. Idiopathic generalised tremor syndrome in two cats. Journal of feline medicine and surgery, v. 16, n. 4, p. 378-380, 2014.

 SEVERINO, H. A.; DA SILVA MUSTAFA, V. Síndrome do tremor idiopático: relato de caso. Revista Científica do curso de Medicina Veterinária-FACIPLAC, v. 3, n. 1, p. 27-35, 2017.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso
Conheça o Serviço Veterinário em Domicílio - Agendar Agora