Tudo sobre: Torção de Lobo Pulmonar

Introdução

A Torção de Lobo pulmonar é uma afecção rara nos animais domésticos, principalmente em gatos. Em cães apesar de não acontecer com frequência, é considerada uma condição grave que pode inclusive ocasionar a morte do animal. Como o nome sugere, a torção é a condição em que um dos lobos pulmonares torce em torno do seu brônquio, causando a obstrução brônquica (condutos de ar do pulmão) e da veia pulmonar, provocando a gradativa morte (necrose) da porção afetada. Como parte do fluxo arterial não é totalmente obstruída, ocorre congestão e consolidação do lobo, ocasionalmente associados à efusão pleural (líquido no espaço pleural), à medida que o fluido se move para o interstício, vias aéreas e cavidade pleural.

Apesar dos animais de porte pequeno também serem acometidos, a torção de lobo pulmonar é mais comum nas raças de grande porte, como cães da raça Afghan Hound, que têm maiores chances de apresentar acúmulo de líquido no pulmão, frequentemente associado a torções. Cães da raça Pug, apesar do porte pequeno, apresentam uma síndrome espontânea em que a torção de lobo pulmonar é observada em filhotes ou jovens até quatro anos de idade. Outros fatores que predispõem a torção de lobo pulmonar são a presença de tumores ou cirurgias anteriores envolvendo a região torácica e histórico de traumas, como acidentes automobilísticos. No geral, qualquer mecanismo que aumente a motilidade de um lobo pulmonar pode predispor à ocorrência de torção.

Transmissão

- Não se aplica

Manifestações clínicas

- Taquipneia

- Taquicardia

- Letargia

- Anorexia

- Pirexia

- Dor

- Tosse

- Apatia

- Êmese 

- Hematêmese

- Hemoptise

- Cianose

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos, histórico do animal e exames laboratoriais.

Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Radiografia torácica

- Ultrassonografia torácica

- Tomografia computadorizada 

- Broncoscopia

- Hemograma completo 

*Deve-se levar em consideração os diagnósticos diferenciais: atelectasia, pneumonias, piotorax ou hemotorax.

 Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento deve ser cirúrgico com a remoção do lobo afetado. A reincidência da torção é muito alta em casos de procedimento cirúrgico apenas para realizar a realocação do lobo no lugar correto, tornando inviável essa técnica. Além da indicação de remoção do lobo, também se faz necessária a remoção do líquido, quando este está presente na cavidade pleural. 

Após a cirurgia também pode ser necessária a utilização de dreno pulmonar. A recuperação pós-cirúrgica deve ser cuidadosa para que se evite a torção de um segundo lobo.

Prevenção

A torção de lobo pulmonar apresenta-se como uma condição espontânea ou em decorrência de traumas e procedimentos curûrgicos, sendo, portanto, de difícil prevenção. Após o tratamento deve ser realizado acompanhamento do animal com a realização de radiografia e ultrassonografia torácicas para que se confirme a resolução do problema e seja rapidamente identificada uma segunda torção caso exista.

Referências Bibliográficas

ACCETTA, J. L. et al. Utilização do adesivo a base de cianoacrilato na síntese do coto brônquico após lobectomia pulmonar em cães (Canis familiaris). Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, v. 41, p. 104-105, 2004.

CALIXTO, Raquel; DE SOUZA, Heloisa Justen Moreira; CORGOZINHO, Katia Barão. Quilotórax associado à torção de lobo pulmonar em gata. Acta Scientiae Veterinariae, v. 35, n. 2, p. 233-237, 2007.

NEDEL HERMES, Bruna; CASASSOLA, Isadora; PRATES ESCOBAR, Talita. Lobectomia pulmonar em caso de torção de lobo cardíaco pulmonar direito em gato: relato de um caso. Acta Sci. vet., 2012.

PANIAGO, Juliana Del Giudice. Torção de lobo pulmonar em cão: relato de caso. Monografia (Residência Médico-Veterinária II, área de Patologia Veterinária), Escola de Veterinária UFMG. Belo Horizonte-MG. 2011.

THRALL, Donald E. O Pulmão de Cães e Gatos. In: THRALL, Donald E. Diagnóstico de Radiologia Veterinária. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. Cap. 33. p. 1351-1352.

URBANO, Sarah de Souza. Ultrassonografia de vias aéreas torácicas em cães e gatos: revisão de literatura. Monografia (Graduação em Medicina Veterinária), Faculdade de Veterinária. Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul. Porto Alegre-RS. 2017.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso